Image Map
Image Map
Image Map
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui

quinta-feira, 28 de março de 2019

CSA atropela o Coruripe e está a um passo da decisão

FOTO: MORGANA OLIVEIRA/ASCOM CSA
Vira, virou no Estádio Gerson Amaral! O CSA começou perdido e perdendo o jogo por 2 a 0, mas se reencontrou em campo e conseguiu a grande virada, de goleada, em cima do Coruripe: foram incríveis 6 a 2. A partida foi disputada na noite desta quarta-feira (27), pela ida da semifinal do Campeonato Alagoano.  
Com essa vitória elástica, o Azulão coloca um pé na final do Estadual, pois agora o Hulk terá que vencer pela diferença de cinco gols no jogo de volta, marcado para o dia 3 de abril, às 20h30, no Estádio Rei Pelé. Antes dessa partida, porém, o Azulão tem o jogo pela Copa do Nordeste, no próximo sábado, contra o Altos-PI, no Estádio Albertão.
Além de dar um passo largo para a final do Campeonato Alagoano, o Azulão conseguiu fazer história. Essa é a maior goleada registrada neste confronto entre as duas equipes.
Jessé e Alef fizeram os gols do Coruripe; e o Azulão marcou com Matheus Sávio, de pênalti, Dawhan empatou e Apodi virou para 3 a 2, esses todos no primeiro tempo. Já na segunda etapa, o Azulão ampliou com Matheus Sávio (segundo dele no jogo), Manga Escobar e Victor Paraíba.
O 1º tempo
O Coruripe começou o jogo apertando a saída de bola do CSA. Em certo momento, o duelo ficou até quente. Após falta em Luciano Castan, os ânimos sobem e houve um princípio de confusão.
O CSA estava perdido. Não jogava bem e perdia todas as bolas. E com o Hulk impossível do jeito que estava, bem melhor do que o Azulão, em todos os setores do campo, claro que não demorou para ele abrir o placar. Aos 8 minutos, após cobrança de escanteio, João Carlos saiu muito mal e Jessé guardou a bola no fundo da rede: 1 a 0.
Estava fácil demais para o Coruripe, que chegou logo ao segundo gol, aos 14 minutos. Isso mesmo: 14 minutos. Alef cortou para a direita em cima de Ronaldo Alves e chutou no cantinho, do lado esquerdo de João Carlos: 2 a 0.
E só dava Coruripe no jogo! Aos 18 minutos o Hulk chegou com perigo. Numa boa trama do ataque, Renato levantou na área do CSA e Ronaldo Alves afastou. Aos 19 minutos, de novo o Coruripe: Kiko Alagoano bateu o escanteio, a zaga do CSA cortou e, na sobra, Alef Manga mandou por cima da meta azulina.
O Coruripe sufocava o CSA em campo, mas o Azulão chegou ao seu primeiro gol, graças a um pênalti marcado pelo árbitro Rafael Carlos Salgueiro, quando Patrick Fabiano chutou e a bola bateu no braço de Islan. Aos 25 minutos, Matheus Sávio cobrou muito bem, deslocando o goleiro Alexandre e diminuiu para o CSA: 2 a 1.
O Azulão ainda comemorava o seu primeiro gol e eis que veio o segundo, era o gol do empate azulino. Aos 27 minutos, Dawhan tabelou com Patrick Fabiano, invadiu a área e soltou a bomba, deixando tudo igual no Gerson Amaral: 2 a 2.
Aos 30 minutos, o Hulk tentou com Alef Manga, que arrancou na velocidade, passou por dois marcadores do CSA, ficou cara a cara com o goleiro João Carlos, mas chutou a bola por cima do travessão. Aos 34 minutos foi a vez de o CSA tentar. Mauro Silva arriscou de longe, de fora da área, e a bola passou à direita do gol de Alexandre.
Detalhe da partida: aos 39 minutos, o técnico do Hulk, Elenilson Santos, acabou sendo expulso, por reclamação contra a arbitragem. Teve que assistir ao restante da partida das arquibancadas. Aos 41 minutos, Didira avançou, mas errou o passe para Matheus Sávio e facilitou a vida da defesa do Hulk.
O CSA buscava o terceiro gol, o gol da virada. E ele veio, já no finalzinho. Aos 45 minutos, Apodi recebeu um excelente passe de Didira e chutou forte, sem chance para o goleiro do Coruripe: 3 a 2 para o Azulão.
A etapa final
No segundo tempo, o CSA foi logo dando as cartas. E, assim como aconteceu o gol do Coruripe na etapa inicial, sem demora, o Azulão ampliou aos 4 minutos. Matheus Sávio soltou uma bomba, de fora da área, e balançou a rede, fazendo um golaço e ampliando para o time azulino: 4 a 2.
CSA foi superior ao Coruripe e conquistou uma bela vantagem para o jogo de volta da semifinal, no próximo dia 3 de abril
FOTO: MORGANA OLIVEIRA/ASCOM CSA

























O jogo era todo do CSA, enquanto o Coruripe estava nervoso, cansado e perdido em campo. O Hulk só tocava a bola, enquanto o Azulão se defendia bem e tentava explorar os contra-ataques. E em um deles chegou ao quinto gol, aos 15 minutos. O colombiano Manga Escobar chamou o lateral Renato para "dançar a cúmbia" (dança/música da Colômbia) e chutou, vendo a bola morrer no fundo do gol. Não percam as contas: 5 a 2 para o CSA. 
Com a boa vantagem no placar, o técnico Marcelo Cabo começou a promover mudanças em sua equipe, que passou a trocar passes e administrar o resultado. Aos 30 minutos, o treinador já tinha feito as três modificações permitidas.
Aos 34 minutos, Patrick Fabiano, teve a chance de ampliar, mas chutou fraco e a bola ficou nas mãos do goleiro Alexandre, que caiu para fazer a defesa. Mas o Azulão chegou ao seu sexto gol na partida, aos 36 minutos. Victor Paraíba se livrou de dois marcadores, entrou na área do Hulk, fintou Alexandre e tocou no canto esquerdo, fechando a goleada: 6 a 2.
Aos 43 minutos, o Coruripe tentou. Após cobrança de escanteio, João Carlos afastou e, na sequência, Ivan tentou, mas foi bloqueado pela zaga azulina. O CSA respondeu aos 46 minutos. Victor Paraíba arriscou de longa distância, a bola bateu no chão e Alexandre ficou com ela. Não havia tempo para mais nada, pois o árbitro apitou o final da partida exatamente aos 47 minutos. 
Coruripe - Alexandre; Renato (Pinheirinho),  Jessé, Islan e Chiquinho Bala; Jair Amaral, Palhinha (Lourinho), Kiko Alagoano (Juliano) e Alef Manga; Etinho e Ivan. Técnico: Elenilson Santos.
CSA - João Carlos; Apodi, Ronaldo Alves, Gerson e Luciano Castán; Mauro Silva, Dawhan (Amaral), Matheus Sávio e Didira (Celsinho); Manga Escobar (Victor Paraíba) e Patrick Fabiano. Técnico: Marcelo Cabo.
Árbitro - Rafael Carlos Salgueiro (CBF-AL).
Auxiliares - Pedro Jorge Santos de Araújo (CBF-AL) e Benílson dos Santos (FAF).
NM com Fernanda Medeiros

Nenhum comentário:

Postar um comentário