Image Map
Image Map
Image Map

segunda-feira, 25 de março de 2019

Clubes, FAF e ALE se mobilizam para liberar venda de bebidas nos estádios de AL


O debate em torno da comercialização e consumo de bebidas alcoólicas nos estádios de futebol de Alagoas deve ganhar uma nova página. Voto vencido na legislatura anterior, o deputado estadual Bruno Toledo (PROS) apresentou novamente, na Assembleia Legislativa do Estado (ALE), projeto de lei que regula a matéria. 
"Acredito que a nova composição do parlamento tem demonstrado bem mais respeito à liberdade do indivíduo e, principalmente, não têm lesado a grande maioria da coletividade, que cumpre as normas, em detrimento a uma minoria de delinquentes que se camuflam como se torcedores fossem", argumenta Toledo.
A reportagem teve acesso ao novo texto do projeto apresentado pelo deputado, e a regulamentação discutida prevê adequações sistemáticas. Entre elas, comercializar apenas durante a partida, vetando após o término do jogo; o fornecedor (barista) deverá ser habilitado, mediante obtenção de alvará municipal específico, para poder realizar a comercialização; somente serão entregues aos consumidores em copos descartáveis com capacidade igual ou inferior a 600 ml, sendo proibida a utilização de latas ou garrafas de vidro; além, obviamente, da venda para menores de 18 anos.

Deputado estadual Bruno Toledo apresentou projeto de lei para regulamentar a venda de bebidas alcoólicas em Alagoas
FOTO: ARQUIVO GA


























Argumentos que são sustentados pelos também deputados estaduais Silvio Camelo (PV) e Marcos Barbosa (PPS). "Acho que o futebol é um espetáculo, diversão, como um show qualquer, onde é liberada a venda de bebidas. Não vejo muita diferença, inclusive acho um retrocesso para o mercado de trabalho direto e indireto, seja ao vendedor de churrasquinho aos clubes que precisam da receita", assegurou Camelo.
O deputado Marcos Barbosa, que também é presidente do CRB, garante que defende o projeto apresentado por Bruno Toledo e acredita na aprovação no parlamento alagoano e, depois, a sanção por parte do governador Renan Filho (MDB). 
"Sou um dos defensores do projeto. Acredito que, desta vez, terá a maioria de votos para aprovação, estamos trabalhando para isso. Vários estados têm o direito de vender bebidas alcoólicas dentro do estádio, lógico, que com regras, sendo algo elaborado, como é o projeto do deputado por Alagoas", garantiu MB.

Deputado e presidente do CRB, Marcos Barbosa acredita na liberação da venda e consumo de bebidas nas praças esportivas de Alagoas
FOTO: AILTON CRUZ


























Ainda de acordo com o atual projeto, o alagoano tem o hábito de ingerir bebidas alcoólicas em determinadas ocasiões. Contudo, não pode haver uma punição ao apreciador, já que "não transgridem as determinações legais, que contempla a grande maioria dos torcedores".
A Federação Alagoana de Futebol, por meio do presidente Felipe Feijó, também se diz favorável a comercialização de bebidas, sobretudo, por causa do retorno financeiro vindo das empresas cervejeiras. Neste sistema, as competições de futebol organizadas pela entidade e os clubes poderiam ser beneficiados.
"Estamos por dentro do assunto. Conversei com o deputado Bruno Toledo e somos totalmente favoráveis a proposta de liberação da comercialização, lógico que com consciência, ordenadamente. Acredito que deveria haver uma audiência pública com todos os envolvidos para poder, de fato, debater com todo mundo. Com a liberação, isso  poderá abrir mais um leque para receita do clube e da própria FAF", disse Feijó. 

Presidente da FAF, Felipe Feijó diz que Alagoas perde em receita por não conseguir patrocínio de cervejarias
FOTO: LUCAS THAYNAN

























As empresas cervejeiras não querem assumir o compromisso com uma competição que não dê o retorno em consumo do produto. "Recebemos propostas, pesquisamos com algumas empresas para criar um Campeonato Alagoano atrelado a marca de cerveja, mas como o estado não tem a liberação do consumo no estádio, para eles não valem a pena", completou Felipe Feijó.
O presidente lembrou que a comercialização continua desordenada nos arredores do Rei Pelé em dias de jogos, causando tumultos minutos antes da partida iniciar. Para ele, a autorização amenizaria os danos acontecidos fora da praça esportiva.
"Encontramos muitas pessoas consumindo cerveja nos bares dos arredores do Trapichão. Os torcedores chegam até uma hora antes da partida começar e ficam do lado de fora bebendo e na hora de entrar acaba sendo uma confusão generalizada. Se houvesse a autorização dentro do estádio, eles consumiriam já nos seus lugares. Isso é mais um fator que poderia atrair torcedores ao estádio", garantiu.

Ministério Público estadual é contra a liberação de bebidas alcoólicas nos estádios alagoanos
FOTO: DIVULGAÇÃO/ASSESSORIA

























A promotora de Justiça, Sandra Malta, diz que a ação de tentar a liberação da venda e consumo dentro dos estádios é "inconstitucional" e não deverá ser aprovada nesta nova investida do deputado Bruno Toledo. 
"Nesta semana, a promotora Sandra Malta estará se deslocando até a Assembleia Legislativa e vai conversar com os deputados favoráveis a liberação e tentar convencê-los a não aprovar. Porque senão, mesmo sendo aprovado, certamente não será sancionada pelo governador Renan Filho em detrimento da inconstitucionalidade", informou a promotora por meio da assessoria. 
Na Série A e sem cerveja
A presença do CSA na Primeira Divisão do Campeonato Brasileiro, abre os olhos para novos investimentos vindo do clube e de empresas que associariam a marca no uniforme que será estampado nos maiores estádios do Brasil. Segundo o presidente marujo Rafael Tenório, os clubes estão "reféns do MPE".
"O CSA é favorável a liberação. Conversei com o governador para que revesse a lei e pudesse sancionar. Mas, infelizmente, o Ministério Público é contra e estamos reféns. Está comprovado que a bebida não causa confusão dentro dos estádios de futebol, a confusão é fora, entre (torcidas) organizadas. Caso a matéria do deputado Bruno seja aprovada, e o MP intervir, caberá ao Poder Judiciário decidir se prevalecerá ou não", declarou Tenório.

Presidente do CSA, Rafael Tenório diz ser favorável a comercialização de cerveja no Trapichão, sobretudo com o Azulão na Série A
FOTO: AÍLTON CRUZ


























Em alguns estados do Nordeste, há, sim, liberação de bebidas nos estádios. Sobretudo, naqueles em que também sediam clubes que integram os 20 mais bem qualificados do Brasil, na Série A.
Na Bahia, desde 2014, o consumo e a comercialização de bebidas nas praças esportivas são liberados. Em Pernambuco, a briga pela liberação durou sete anos, entre 2009 e 2016, quando a venda de cervejas e o seu consumo foram liberados. 
O Ceará, que em 2019 contará com dois clubes na primeira divisão do Brasileirão, Fortaleza e Ceará, contam com a proibição decretada e pode ter novidades. Em 2018, audiências públicas foram realizadas na ALE cearense para discutir a liberação das vendas.
Violência e saudosismo
Na final do Campeonato Alagoano de 2016, torcedores de CRB e CSA promoveram uma grande confusão no gramado do Estadio Rei Pelé, algo que poderia ser potencializado se tive a comercialização de bebida, segundo frequentadores de jogos dos dois clubes de futebol do Estado. 
"Por mim, não ligaria pela venda da cerveja durantes os jogos, mas penso no próximo. Tenho consciência do meu limite, no entanto outras pessoas não. Meu pai, se tomasse umas três, ele ficaria quente. Não só ele mas como outras pessoas. Deste modo, sou contra", pontuou a azulina Manuelle Lima, 23 anos. 

Em Pernambuco, o consumo de bebidas alcoólicas nos estádios é liberada desde 2016
FOTO: RICARDO FERNANDES/DP/D.A PRESS

























Os mais cascudos nas arquibancadas sentem o saudosismo de poder ingerir bebida alcoólica no Trapichão, em contrapartida, esbarra nas questões dos dias atuais. "Antigamente, eu bebia assistindo a partida no Rei Pelé enquanto assistia o meu Galo jogar, hoje, tenho certeza, se houvesse a liberação, mesmo com algumas restrições, poderia desencadear algo que fugisse do controle, potencializado pela cerveja em excesso", alertou o regatiano Manoel Messias, 67. 
Porém, há os saudosistas que enxergam o novo cenário e não acreditam que a cevada seja o grande ponto que eleve os índices de violência e mantém a esperança pela autorização. Tenho mais de 30 anos de frequência nos jogos do CSA. Sempre consumi minha cerveja no Rei Pelé até haver a proibição. De lá para cá não vi diminuição alguma na violência, que só faz aumentar. Está na cara que a cerveja não é o problema. O problema, de fato, são as leis serem frouxas. Desta forma, é mais fácil proibir do que resolver o real problema. É mais cômodo", criticou o aposentado Paulo Ricardo, 66.
A reportagem procurou o Tribunal de Justiça de Alagoas (TJ-AL), no entanto, o órgão informou que não se posicionaria sobre o assunto, somente se for "acionado". Até o momento, garante, em nota, que o judiciário não foi procurado.
NM com Mauricio Manoel

domingo, 24 de março de 2019

CSA melhora no segundo tempo, bate o Sergipe e retorna ao G4 da Copa do Nordeste

CSA melhora no segundo tempo, bate o Sergipe e retorna ao G4 da Copa do Nordeste

FOTO: AILTON CRUZ
Longe de suas melhores atuações, o CSA venceu o Sergipe por 2x0, neste domingo (24), no Estádio Rei Pelé e retornou ao G4 do Grupo B da Copa do Nordeste. Sem nenhuma chance clara de gol na primeira etapa, o Azulão deixou o gramado vaiado pelos torcedores, mas melhorou no segundo tempo e bateu o Gipão com gols do zagueiro Ronaldo Alves, de pênalti, e do meia Didira, que acertou um lindo chute no cantinho do goleiro Erivelton, aos 33 minutos do tempo final.
A vitória fez o CSA atingir os 13 pontos na tabela e dá um salto importante na luta pela classificação para a próxima fase do Nordestão. O Azulão agora é o quarto colocado e só depende de si para avançar. Por outro lado, o Sergipe estacionou na sexta posição do Grupo A, com apenas três pontos ganhos e tem poucas chances de avançar.
Agora, o CSA volta suas atenções para o confronto da próxima quarta-feira (27), contra o Coruripe, as 21h30, pelo jogo de ida das semifinais do Campeonato Alagoano, no Estádio Gerson Amaral. No mesmo dia, as 20h30, o Sergipe recebe o Lagarto, pela 2ª rodada do Hexagonal do Campeonato Sergipano na Arena Batistão. Já pela Copa do Nordeste, o Azulão só volta a atuar no dia 30 (sábado), quando vai encarar o Altos-PI, às 16h, no Albertão, em Teresina-PI.


CSA 2x0 Sergipe
Confira os melhores momentos da partida válida pela 7ª rodada da Copa do Nordeste


Desatento

Lutando pela classificação para a próxima fase do Nordestão, o CSA entrou em campo com a obrigação de vencer a qualquer custo. No entanto, o que se viu dentro de campo foi um time impaciente e desatencioso. Apesar de dominar a posse de bola no início de jogo, o Azulão não levava perigo ao gol do Sergipe e vinha o time alvirrubro assustar nos contra-ataques.

Apostando na velocidade de Manga Escobar pelo lado esquerdo e a dobradinha entre Cassiano e Apodi na direita, o CSA deixava espaços entre os setores e quase foi surpreendido aos 20 minutos pelo Gipão. 

O lateral Rhuan recebeu na entrada da área, cortou para dentro e finalizou com estilo, buscando o ângulo superior direito de João Carlos. O goleiro azulino saltou e com as duas mãos fez uma linda defesa, salvando o CSA.

Seis minutos depois, a defesa maruja deu bobeira, o meia alvirrubro Ramalho pegou o rebote e soltou um canudo da meia-lua da grande área. João Carlos se esticou todo, mas viu a redonda passar muito perto da trave direita e ir para fora.

O jogo seguia como começou: CSA tendo a bola e o Sergipe fechadinho, apostando nos contra-ataques. Em um desses lances, Rhuan invadiu a área do Azulão, chutou rasteiro e mais uma vez, João Carlos defendeu, mantendo a igualdade no marcador já aos 33 minutos. 

O CSA abusava de passes errados e demorava demais nas criações de jogadas, com uma transição lenta, o que ajudava o Gipão a se defender. Já impaciente, a torcida maruja vaiou o time na descida para o vestiário, após o encerramento da primeira etapa.
AILTON CRUZ

Enfim, gols

No segundo tempo, o CSA voltou melhor e teve duas chances de tirar o zero do placar antes dos 15 minutos. Na primeira, aos 11, Cassiano achou Matheus Sávio dentro da área, mas o chute do camisa 10 azulino saiu torto e foi para fora. Dois minutos depois, foi a vez de Cassiano desperdiçar, chutando em cima de Erivelton, após receber passe de Manga Escobar.

Para a sorte dos marujos, o árbitro piauiense Diego da Silva Castro marcou pênalti do zagueiro Carlos Alexandre em Luciano Castán. O também zagueiro Ronaldo Alves foi para a cobrança e com muita categoria, deslocou Erivelton e marcou seu primeiro gol com a camisa do CSA, aliviando a pressão no Rei Pelé: Azulão 1x0.

Criticado pelo torcedor marujo, o meia Matheus Sávio deu lugar a Victor Paraíba, enquanto Cassiano saiu para a entrada do volante Bruno Ramires. As mudanças mantiveram o CSA no ataque  e não deu mais chances para os sergipanos. 

Didira, que atuava como segundo volante, passou a jogar mais a frente e foi efetivo aos 34 minutos. Ele recebeu na entrada da área, ajeitou o corpo e bateu de canhota, no cantinho direito de Erivelton para decretar a vitória azulina: 2x0.

Cabo ainda colocou o volante Mauro Silva no lugar de Manga Escobar, mas o Azulão somente administrou o resultado até o apito final.

Equipes
 
CSA: João Carlos; Apodi, Ronaldo Alves, Luciano Castán e Rafinha; Dawhan, Didira e Matheus Sávio (Victor Paraíba); Manga Escobar (Mauro Silva), Cassiano (Bruno Ramires) e Patrick Fabiano.

Técnico: Marcelo Cabo

Sergipe: Erivelton; Rhuan, Claudio Baiano, Carlos Alexandre e Marinho Donizete; Heverton (Elton), Felipe Hereda (Maranhão), Brendon e Ramalho; Leandro Love e Júnior Batata (Giancarlo).

Técnico: Leandro Campos

NM com Isaac Simões

sábado, 23 de março de 2019

CRB bate o Confiança por 2x0 e conquista a primeira vitória na Copa do Nordeste

FOTO: FELIPE MARTINS/CONFIANÇA
Jogando em Sergipe, na Arena Batistão, o CRB conseguiu vencer a primeira partida na Copa do Nordeste. Na noite deste sábado (23), a vítima foi o Confiança, que amarga a sétima posição do Grupo B da competição. Com os três pontos, o time do técnico Roberto Fernandes consegue dormir na 3ª posição do Grupo A e confirma, ao menos, a presença no G4 por mais uma rodada - dependendo que o Bahia vença o Salgueiro, neste domingo.
O CRB começou a partida com intensidade, mas cedia bastante espaço para as investidas do Dragão. No entanto, quando perdeu Danilo Bala por lesão, aos 31 minutos da primeira etapa, foi que a equipe conseguiu se sobressair e construir o placar muito rapidamente. Mailson fez o primeiro e Victor Rangel, voltando de lesão após 35 dias parado, ampliou o marcador. Na segunda etapa, de maneira desordenada, o Confiança correu mas não conseguiu reverter o prejuízo.
Após o jogo em Sergipe, o CRB anunciou a contratação do lateral direito Daniel Borges, de 26 anos, ex-Mirassol, para a sequência da temporada. Na quarta-feira (27), o Galo troca o chip e se volta ao Campeonato Alagoano, onde enfrenta o Jaciobá na partida de volta da semifinal. O confiança, que completou nesta noite um mês sem vitórias, pega o Dorense, na terça-feira (26), pelo Sergipano.

O JOGO

O CRB precisava vencer para continuar vivo na corrida pela classificação. Mais ainda, precisa alcançar a primeira vitória na competição. E foi em busca disso. Aos quatro minutos, Ferrugem, de falta, ao estilo Cristiano Ronaldo, por pouco não abriu o marcador num foguetaço. O goleiro Jean salvou o time sergipano.
No entanto, o time da casa também estava necessitado dos três pontos para continuar respirando e sonhando na classificação. Aos 16, o volante Flávio pegou a redonda na meia cancha, enxergou que estava tudo aberto e bateu: Edson Mardden caiu para o lado esquerdo e não deu rebote.
A partida seguia morna, com muitos erros de passes e pouca exigência dos goleiros. Até que, aos 31 minutos, o atacante Danilo Bala sentiu a coxa esquerda e precisou ser substituído. Sem pensar duas vezes, o técnico Roberto Fernandes chamou o centroavante Victor Rangel e o colocou em campo. Pareceu um efeito dominó.
Com menos oito minutos em campo, Rangel fez o que se espera de uma centroavante. Erro na saída de bola do Confiança, o meia Felipe Menezes roubou a redonda, Victor correu e levou toda a marcação junto, deixando o atacante Mailson sozinho. Passe nos pés do camisa 11 e bola na rede. Sem chances para Jean. CRB 1x0.
Dois minutos mais tarde, foi a vez de Rangel guardar o dele. Mailson puxou o contra-ataque na ponta esquerda defensiva do Regatas, arrancou em alta velocidade, lançou o centroavante, que não perdoou. CRB 2x0. Esse foi o quarto gol marcado por Rangel na temporada. 
O segundo tempo foi no ritmo que o CRB quis imprimir. Enquanto que o Confiança ia com tudo ao ataque, o Galo buscava a velocidade pelos lados de campo e, às vezes, prendendo a bola esperando o tempo passar. Desta maneira, que a segunda etapa se configurou. 
O Dragão buscava as jogadas aéreas a todo instante, mas esbarravam na boa atuação do zagueiro Wellington Carvalho que não perdeu uma dividida pelo alto. Somente de bola parada que os sergipanos conseguiam chegar com mais perigo. Aos 32, Jardel mandou um balaço e Mardden livrou o Galo com a ponta dos dedos. 
Como arma fatal, o time regatiano tinha o contra-ataque, porém, não conseguia torná-lo efetivo. Mailson, aos 34 minutos, recebeu sozinho o belo passe de Mateus Silva, só que se enrolou todo com a bola e perdeu a grande oportunidade de matar o jogo. 
Goleiro Edson Mardden pouco trabalhou no segundo tempo de jogo contra o Confiança
FOTO: FELIPE MARTINS/CONFIANÇA
























Dois minutos depois, o terceiro gol pareceu que sairia na sorte, literalmente. Bola despretensiosa na aérea do Confiança, o zagueiro Anderson não viu que o goleiro Jean havia saído do gol e deu uma casquinha para trás. Bem no contrapé do arqueiro. A bola correu e bateu na trave. Por pouco saiu gol contra.
Foi então que o CRB ganhou mais força no ataque. Victor Rangel roubou a bola no meio de campo, enfiou para Barbio. O atacante invadiu a área e o goleirão azulino defendeu com os pés. Já na casa dos 41 minutos, o lateral esquerdo Igor tentou o cruzamento na área do Dragão, mas a bola tomou o destino da trave e quase marca sem querer. O jogo seguiu até os 49 minutos e sem mais chances de gol. 
Assista, abaixo, aos melhores momentos de Confiança 0x2 CRB

NM com Mauricio Manoel

Dirigente do ASA fala sobre as mudanças no elenco para a disputa da Série D

Tv GAZETA
Depois de iniciar uma reformulação no elenco para a disputa da Série D do Brasileiro, o ASA ainda não confirmou nenhum nome para recompor o grupo. Ao todo, 17 jogadores foram liberados e a tendência é pela montagem de um novo plantel.

Vice-presidente do Alvinegro, Celso Marcos disse que as medidas após a campanha ruim no Alagoano eram necessárias.

- O início do campeonato não foi com nós imaginávamos e os resultados não apareceram. É lógico que para essa situação exige medidas enérgicas, até porque nós temos que reformular porque vem o último campeonato que vamos disputar neste ano (a Série D) e, pra isso, tem que ter uma outra roupagem... Já nos reunimos com a comissão técnica, com a diretoria, fizemos várias situações do que estava correto e do que precisava mudar. E dentro daquilo que ficou definido entre todos foram as liberações e agora no mercado fazendo buscas e indicações de jogadores que possam ajudar o ASA a fazer uma grande campanha na Série D - disse o dirigente.

Sobre as finanças do clube, o dirigente citou que a preocupação ainda existe, mas alguns contratos trouxeram um alívio para o trabalho desta temporada.

- Mediante à ajuda da prefeitura e dos nosso patrocinadores, nós temos problemas financeiros, mas estamos bem mais tranquilos do que quando nós começamos. Quando começamos, nós não tínhamos certeza de praticamente nada, mas agora já existem algumas situações estabelecidas e já podemos trabalhar com um valor médio que podemos utilizar.

Os jogadores que deixaram o ASA após a eliminação do Campeonato Alagoano foram: Betinho, Ciel, Dakson, Geovani, Léo Campos, Marrone, Romário, Jadson, Rafael, Hugo, Janderson, Willames José, Henrique, Maycon, Cal, André Nunes e Matheus Gutz.

NM com Globoesporte.com/al

sexta-feira, 22 de março de 2019

Rafinha diz que disputa com 3 companheiros pela lateral esquerda do CSA é sadia

FOTO: AILTON CRUZ/GAZETA DE ALAGOAS
O CSA realizou mais um treinamento nesta tarde, visando ao jogo contra o Sergipe, no Estádio Rei Pelé. Muitas jogadas de finalizações foram testadas, toques de bola e os passes, principalmente no setor de ataque. E a formação que treinou na quarta-feira (20) foi a mesma de hoje, tendo Cassiano e Patrick Fabiano lá na frente.  
Depois do treinamento desta tarde, o entrevistado foi o lateral esquerdo Rafinha, ele que teve uma infecção urinária, ficou sem jogar, mas está melhor e voltou ao time titular contra o Coruripe, e deve, ainda, continuar como titular no jogo deste domingo. 
"Depois dessa infecção complicada, acabei indo pro jogo do Coruripe, apenas treinando dois dias, mas desde que cheguei ao CSA, estou à disposição e enquanto eu puder ajudar o CSA vou procurar dar o meu melhor", disse.
Com as recentes contratações feitas pela direção azulina para o setor, Rafinha disputará vaga na lateral esquerda com Armero, Pedro Rosa e Carlinhos. A concorrência é grande: são quatro brigando por uma vaga de titular. Para Rafinha essa disputa é normal e sadia. 
"Acho normal. Quando se chega à Série A, o clube vai contratar. Fico feliz por fazer parte do grupo que permaneceu para a Série A e acho que é uma disputa sadia. A gente tem que trabalhar e tem que ver melhor quem o professor Marcelo Cabo vai colocar para jogar. São grandes profissionais jogaram em grande clubes, e eu vou também procurar estar sempre trabalhando e dando o meu melhor, para que eu consiga a minha oportunidade".
Ele falou sobre o atual momento do CSA, no Alagoano e na Copa do Nordeste. "Agora é momento de decisão. Temos duas decisões na Copa do Nordeste, buscando a classificação, e na semifinal do Alagoano. então, tem que ir passo a passo, pensando em um jogo de cada vez, mas sabendo que cada jogo desse é uma decisão".
Sobre o adversário de sábado, o Sergipe, Rafinha disse que a comissão técnica está procurando estudar a equipe sergipana para ver os pontos fortes e que o elenco azulino está trabalhando forte baseado em tudo o que está sendo passado para os jogadores. "Isso para a gente chegar no domingo, fazer um grande jogo e conseguir a vitória".
Rafinha também falou sobre o nível do Alagoano e da Copa do Nordeste. "São competições diferentes. A Copa do Nordeste ficou um pouco mais longa a primeira fase do que foi no ano passado e o Alagoano acabou ficando mais curto. Mas não tem jogo fácil e todos os jogos são bem disputados e agora só chegou realmente quem tem chance. A gente tem a vantagem (na semifinal do Alagoano) de jogar por dois empates, mas não podemos estar pensando nisso, temos que entrar pensando em ganhar todos os jogos", afirmou.
O torcedor azulino tem cobrado apresentações melhores do CSA em campo, fica na bronca com o desempenho da equipe e faz críticas, muitas vezes duras, principalmente nas redes sociais. Sobre essa questão, o lateral disse que considera normal, tendo em vista que o torcedor quer sempre a vitória do seu time, mas só que, segundo ele, às vezes, ela não vem. E garantiu que o time está trabalhando forte para evoluir a cada jogo.
"A gente trabalha para isso (vencer), mas infelizmente, às vezes, a vitória não vem, acaba que vem o empate. Até mesmo, às vezes, acontece a derrota. Mas nós mudamos bastante o elenco. Então, é um grupo que está em formação ainda, eu acho que tem muito a evoluir e estamos trabalhando dia a dia, para que a gente consiga essa evolução. A cobrança é normal, acho que temos que entrar em campo, procurar dar o nosso melhor e aos poucos evoluir", encerrou.
NM com Fernanda Medeiros

+ VISTAS