Image Map
Image Map
Image Map

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Campeonato Carioca terá teste de árbitro de vídeo nas partidas decisivas


O Campeonato Carioca terá árbitro de vídeo em suas partidas decisivas, mas não irá ser para valer. Num primeiro momento, as semifinais e finais de Taça Guanabara, Taça Rio e Estadual utilizarão o sistema off-line como teste para a implementação definitiva em 2019.
"A decisão se deve a duas questões: uma técnica e outra financeira. Tivemos muitos problemas (com o árbitro de vídeo), como na Libertadores e na Copa Sul-Americana, a ponto de algumas pessoas colocarem em cheque o sistema. Precisamos aprender, não só árbitros, mas o operadores também", explicou o presidente da Comissão de Arbitragem da Ferj, Jorge Rabello.
Em relação à parte financeira, o alto custo para utilizar o sistema, que giraria em torno de R$ 4 milhões, também pesou contra a utilização efetiva do árbitro de vídeo neste ano. Para a experiência off-line nas 10 partidas, o custo será de 5 mil reais, mais passagem e hospedagem.

​"Segundo a CBF, o custo é de 30 mil por jogo. E no carioca são 126", explicou Rabello, garantindo que o árbitro de vídeo não irá interferir nas partidas decisivas, mesmo que haja um erro grosseiro da arbitragem.
"Não haverá interferência, mas esses dados serão utilizados para mostrar aos clubes que o árbitro de vídeo é fundamental".​
​NOVA BOLA
Também nesta quinta-feira, a federação lançou a bola oficial do Campeonato Carioca, chamada 'Samba'. Pelo segundo ano seguido, o design foi inspirado no Rio de Janeiro, desta vez no pôr do sol. O uniforme dos árbitros também foi apresentado no evento. "A decisão se deve a duas questões: uma técnica e outra financeira. Tivemos muitos problemas (com o árbitro de vídeo), como na Libertadores e na Copa Sul-Americana, a ponto de algumas pessoas colocarem em cheque o sistema. Precisamos aprender, não só árbitros, mas o operadores também", explicou o presidente da Comissão de Arbitragem da Ferj, Jorge Rabello.
Em relação à parte financeira, o alto custo para utilizar o sistema, que giraria em torno de R$ 4 milhões, também pesou contra a utilização efetiva do árbitro de vídeo neste ano. Para a experiência off-line nas 10 partidas, o custo será de 5 mil reais, mais passagem e hospedagem.

​"Segundo a CBF, o custo é de 30 mil por jogo. E no carioca são 126", explicou Rabello, garantindo que o árbitro de vídeo não irá interferir nas partidas decisivas, mesmo que haja um erro grosseiro da arbitragem.
"Não haverá interferência, mas esses dados serão utilizados para mostrar aos clubes que o árbitro de vídeo é fundamental".​
​NOVA BOLA
Também nesta quinta-feira, a federação lançou a bola oficial do Campeonato Carioca, chamada 'Samba'. Pelo segundo ano seguido, o design foi inspirado no Rio de Janeiro, desta vez no pôr do sol. O uniforme dos árbitros também foi apresentado no evento. 
NM com Odia.Uol

Nenhum comentário:

Postar um comentário