Image Map
Image Map
Image Map

domingo, 18 de setembro de 2016

CSA é derrotado pelo São Bento pelo placar de 1 a 0, mas é finalista da Série D

São Bento x CSA, São Bento, Sorocaba, CSA, Alagoas, Walter Ribeiro, CIC, Série D, chuva (Foto: Guilherme Giavoni)
O CSA enfrentou o São Bento-SP na tarde deste domingo (18), no Estádio Walter Ribeiro, em Sorocaba, pelo segundo jogo das semifinais do Campeonato Brasileiro da Série D. A partida terminou com a derrota azulina por 1 a 0. Magrão marcou o gol do Bentão, mas com esse resultado, o Azulão conseguiu vaga na final da competição e vai enfrentar o Volta Redonda-RJ. O primeiro jogo da decisão será no Estádio Rei Pelé, com data e horário ainda a ser definidos pela CBF.
Após ter vencido o São Bento por 2 a 0, jogando no Estádio Rei Pelé, o time azulino só precisava de um empate para chegar a decisão da Série D. Uma derrota por 1 a 0, como acabou acontecendo, também deixaria os alagoanos na final. Por esta razão, o CSA adotou uma postura mais cautelosa em campo e buscou construir as jogadas de acordo com os erros do adversário.
Sem Panda, ponto de equilíbrio no meio-campo e Cleyton, artilheiro que foi negociado com o Paysandu-PA, o técnico Oliveira Canindé preferiu um time mais compacto com Everton Heleno na cabeça de área e Jeferson Maranhense pelo lado esquerdo do campo. 
Aos 23 minutos da primeira etapa, o goleiro Jeferson deixou o campo lesionado e obrigou o treinador azulino a fazer outra modificação forçada na equipe. Em entrevista a Rádio CBN, o camisa 1 do CSA afirmou que sentiu o músculo adutor da coxa e por isso, preferiu pedir para sair. Pantera foi o substituto.
O jogo
Com desvantagem no duelo, o São Bento insistiu mais no ataque, mas os lances de perigo da equipe foram mínimos. Aos 4 minutos do primeiro tempo, Giovanni cobrou escanteio na cabeça de Daniel Gigante, que finalizou por cima do gol.
O Azulão, mais comedido em campo, se armava buscando um contra ataque fulminante. O lance de mais perigo do CSA no primeiro tempo foi em uma cobrança de escanteio feita por Bismarck que mandou direto para o gol e quase o goleiro Rodrigo Viana falha feio.
O São Bento teve mais posse de bola, mas não conseguiu converter em jogadas construídas. Somente no final da primeira etapa, aos 47, Edu Pina cobrou falta e, mais uma vez, Daniel Gigante cabeceia com perigo. A bola passou muito perto do gol de Pantera.
Na volta para o segundo tempo, o time do São Bento até chegou a assustar aos 7 minutos. Lucas Mendes cruzou para Magrão, que finalizou muito perto do gol do CSA. O time paulista desperdiçara sua maior chance no jogo.
O jogo seguiu sendo controlado pelo Azulão até a expulsão de Denílson, aos 10 minutos. Mas a forte chuva que caiu em Sorocaba fez com que a diferença numérica não fizesse nenhum efeito a favor do São Bento.
Por duas vezes a partida parou. A primeira aos 27 minutos. Os ventos foram tão fortes que as placas de publicidade estava sendo deslocadas. Minutos depois, o árbitro mandou a partida seguir. Pouco tempo após a paralisação, aos 38, a partida voltou a parar por causa de granizo.
O árbitro mandou o jogo seguir e aos 48 minutos do segundo tempo, Edu Pina cruzou na área, Pantera saiu mal e Magrão cabeceou para o fundo do gol, abrindo o placar para o São Bento. Mas não deu mais tempo para nada. O árbitro encerrou a partida aos 50 e confirmou a passagem do Azulão para a grande final da Série D.

NM com Francisco Cardoso

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PARCEIROS NA MIRA

PARCEIROS NA MIRA