Image Map
Image Map
Image Map

segunda-feira, 30 de setembro de 2019

CSA amarga a segunda derrota consecutiva no Campeonato Brasileiro e vê Fluminense abrir vantagem fora da zona de rebaixamento

Novamente a superioridade técnica do adversário sobressaiu ao ferrolho do CSA. Jogando contra o Santos, na Vila Belmiro, neste domingo (29), o time marujo marcou bem, mas não conseguiu agredir os santistas em partida válida pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro e perdeu por 2x0.
Os gols do Peixe foram marcados por Carlos Sánchez, de pênalti, e Eduardo Sasha após falha de marcação na grande área maruja. Resultado positivo manteve o time paulista na 3ª posição da competição, com 41 pontos. Esta foi a segunda derrota consecutiva do CSA na Série A, com isso se manteve na zona de rebaixamento, com 19 pontos. 
Pela 23ª rodada do Brasileirão, o CSA volta a jogar no Estádio Rei Pelé, agora contra o Avaí, às 19 horas do domingo (6). No dia anterior (sábado), às 17h, o Santos encara o Vasco da Gama, em São Januário.

UM A ZERO ACHADO
A primeira etapa do confronto não reservou grandes emoções às torcidas de Santos e CSA. Como já era esperado, o time marujo se postou totalmente atrás da linha da bola e esperava um momento para contra-atacar. 
Os santistas, porém, tentavam furar o ferrolho montado pelo técnico azulino Argel Fucks. Como aos 9 minutos, quando Eduardo Sacha escapou pela direita de ataque, mandou rasteiro para o meio da área e o zagueiro Luciano Castán afastou o perigo. 
A estratégia estava dando certo até que o zagueiro Alan Costa sentiu o tornozelo aos 27' e pediu substituição. Ronaldo Alves entrou imediatamente. No lance seguinte, após cobrança de escanteio de Sánchez, o zagueiro santista Gustavo Henrique cabeceou no segundo pau e quase a bola entra abrindo o placar na Vila.
Aos 28 minutos, Jean Mota avançou até a entrada da grande área e chutou para o gol, Jordi espalmou e mandou para longe. Os lances em sequência animaram o Peixe, mais ainda ao baixinho meia Soteldo. Ele saiu cortando a defesa do Azulão pela esquerda, passou para Sasha dentro da área, que bateu no gol. O volante Naldo se jogou no lance e meteu o braço na redonda. Pênalti. Carlos Sánchez pegou a bola, correu para ela e venceu Jordi. 1x0, aos 33 minutos.
Atrás do marcador, o CSA tentou correr atrás do prejuízo e cedeu espaços para o Santos usar a velocidade. E em um dos contra-ataques, aos 42, Jorge abriu pela esquerda buscando Soteldo. Ele viu a infiltração de Sánchez, passou a redonda por elevação e o uruguaio finalizou obrigando Jordi a se esticar todo para impedir o segundo gol. 
No último lance do primeiro tempo, Soteldo saiu cortando mais uma vez a defensiva alagoana, lançou Sasha na marca da cal, mas na hora da finalização foi travado. O assistente já estava com a bandeira levantada assinalando impedimento na hora do passe. 

DECRETO DO PLACAR
A necessidade de pontuar devido a vitória, até então parcial, do Fluminense sobre o Grêmio, obrigou o CSA voltar para a segunda etapa mais incisivo, com a marcação mais alta. Porém, a atitude poderia gerar consequências adversas. 

Soteldo abriu para Sánchez no meio-campo. O meia ajeitou o corpo, viu que tinha espaço e soltou um foguete, mas a redonda passou sobre o gol de Jordi. Dois minutos depois, o lateral esquerdo Jorge pegou a bola da intermediária, saiu avançando até a entrada da área e chutou. O arqueiro azulino se esticou e mandou para linha de fundo. 

Mas no ataque seguinte não teve jeito. Cruzamento dentro da área, Lucas Veríssimo desvia de cabeça, depois Evandro também toca nela e Eduardo Sasha, praticamente embaixo da trave azulina, só teve trabalho de desviar para o fundo da meta do CSA. 2x0.

Em um dos raros ataques do CSA, aos 26', Dawhan conseguiu chegar ao campo ofensivo, passou para o centroavante Ricardo Bueno. Ele dominou sem muito espaço, tentou o arremate no gol defendido por Everson e mandou para muito longe. 

A esperança em conseguir ao menos um empate jogando na Vila Belmiro surgiu aos 32 minutos, quando o zagueiro Lucas Veríssimo recebeu o segundo amarelo e acabou expulso. Neste exato momento, o técnico Argel Fucks esbravejou pedindo para que a equipe se lançasse ao ataque. 


E o gol da diminuição do placar quase surgiu após escanteio batido por Euller, Naldo apareceu no segundo pau Naldo, dividiu com o goleiro Everson e por pouco não manda a bola para dentro, aos 41 minutos. Com o placar favorável, o Santos apenas se defendia e dava campo ao CSA. 

Aos 47', a defesa do Santos afastou mal a bola vinda de escanteio.  A redonda sobrou nos pés do zagueiro Ronaldo Alves, na entrada da área. Ele não pensou duas vezes e fuzilou a meta santista, mas por cima da baliza. Fim de papo na Vila Belmiro com quebra de jejum do Santos após quatro jogos sem vitória e constatação da segunda derrota seguida azulina no Brasileirão.

Santos: Everson, Victor Ferraz, Gustavo Henrique, Lucas Veríssimo e Jorge; Diego Pituca, Sánchez, Evandro (Felipe Jonatan) e Jean Mota (Derlis González); Soteldo e Eduardo Sasha (Luiz Felipe); Técnico: Jorge Sampaoli

CSA: Jordi, Apodi, Alan Costa (Ronaldo Alves), Luciano Castán e Carlinhos (Rafinha); Naldo, Jean Kléber e Dawhan; Jonathan Gómez (Euller), Héctor Bustamante e Ricardo Bueno; Técnico: Argel Fucks.

NM com Mauricio Manoel
FOTO: IVAN STORTI/SANTOS FC 

Nenhum comentário:

Postar um comentário