Image Map
Image Map
Image Map

segunda-feira, 26 de agosto de 2019

Nos acréscimos, Apodi marca e CSA arranca empate com Cruzeiro no Rei Pelé: 1 a 1

FOTO: AILTON CRUZ
Um jogo disputado na noite (19h) deste domingo (25), no Estádio Rei Pelé, o CSA sofreu mais uma vez neste Brasileirão Série A, mas conseguiu ao menos um ponto, ao empatar com o Cruzeiro, por 1 a 1, em duelo válido pela 16ª rodada. O Azulão foi mal na primeira etapa, mas melhorou no segundo tempo e conquistou a igualdade no placar no Trapichão.
Com esse resultado, porém, o time azulino deixou escapar a chance de subir na tabela, para ficar mais perto de deixar o Z4. Agora ele tem 12 pontos, mas segue na 19ª posição na tabela. Já o Cruzeiro, chega aos 15 pontos e fica na 16ª colocação, uma posição à frente da primeira que abre a zona de rebaixamento.
O gol da Raposa foi assinalado por Fred, aos 10 minutos da primeira etapa. E o Azulão deixou tudo igual com Apodi, aos 48 minutos da etapa final, um gol sofrido, que para muitos torcedores não iria sair, muitos deles, inclusive, já estavam deixando o estádio, minutos antes de o CSA empatar.   
Agora o Azulão volta a campo pela 17ª rodada no próximo dia 31 (sábado), contra o Bahia, na Arena Fonte Nova, às 17 horas. E o Cruzeiro recebe o Vasco, no dia 1º de setembro (domingo), no Mineirão, às 19 horas.
Como foi o 1º tempo
Fred foi o autor do gol do Cruzeiro, logo aos 10 minutos da primeira etapa
FOTO: AILTON CRUZ























O jogo começou bastante estudado pelas duas equipes. Aos 2 minutos, quem tentou foi o Azulão do Mutange. Bustamante avançou pela direita, entrou na área, mas acabou travado por Henrique.
Não demorou para o placar ser aberto no Rei Pelé. E o gol foi do Cruzeiro. Aos 10 minutos, Orejuela cruzou na área azulina, Thiago Neves cabeceou e Jordi fez boa defesa, mas, na sobra, Fred empurrou para o fundo das redes: 1 a 0.
Aos 16 minutos, de novo Bustamante tentou. Ele buscou fazer a ligação com Naldo, mas a bola correu muito e foi direto parar nas mãos do goleiro Fábio. Aos 18 minutos, e mais uma vez com uma jogada de Bustamante. O paraguaio virou o jogo com Carlinhos, que cruzou na área, Alecsandro fez o corta-luz, mas a zaga afastou o perigo.
CSA sofreu, mas arrancou um empate importante com o Cruzeiro, pela Série A
FOTO: AILTON CRUZ























O CSA não conseguia jogar bem, estava perdido e só dava Cruzeiro em campo. Mas o Azulão tentava: aos 19 minutos, novamente com o paraguaio Bustamante, que jogava sozinho, "se matava" e ninguém aparecia para jogar com ele. Bustamante cortou para dentro, tentando enganar o goleiro Fábio com um chute de cobertura, mas a bola foi por cima da trave, apenas em tiro de meta para a Raposa.
Aos 23 minutos, foi a vez do Cruzeiro. Thiago Neves ajeitou a bola e soltou o chute. O goleiro Jordi se esticou todo para fazer a defesa no canto direito. O CSA até que chegava pelo lado direito, mas errava os cruzamentos, enquanto o Cruzeiro era mais objetivo. Aos 32 minutos, Jean Kléber cruzou rasteiro para Alecsandro, mas a zaga do Cruzeiro chegou primeiro e afastou o perigo. Na sequência, Bustamante tentou cruzar pelo alto, mas Fábio ficou com a bola.
O CSA não levava perigo nenhum ao Cruzeiro, era de uma pobreza ofensiva muito grande. E o Cruzeiro seguia mais lúcido. Aos 34 minutos, até assustou o Azulão. Marquinhos Gabriel soltou a bomba de canhota e quase fez de cobertura sobre Jordi. O meia da Raposa enxergou o goleiro azulino adiantado e tentou surpreender. 
O melhor momento do CSA na etapa inicial se deu aos 35 minutos, quando Jonatan Gómez cobrou o escanteio pela direita e Alecsandro recebeu na segunda trave, sem marcação, mas acabou isolando a bola. O Cruzeiro tocava a bola no meio de campo, com quase todos os jogadores no campo de ataque, mas não conseguia levar perigo.
Aos 40 minutos, a Raposa chegou. Dodô recebeu na ponta esquerda, deu uma cavadinha sobre Bustamante e tentou a segunda em Dawhan, mas o camisa 8 do Azulão chegou firme e cometeu falta no lateral esquerdo da Raposa. Na cobrança, Thiago Neves mandou para a área, mas Naldo subiu para afastar o perigo.
Técnico do CSA, Argel Fucks ficou impaciente com a atuação de seus comandados
FOTO: AILTON CRUZ























Com a vantagem no placar o Cruzeiro "puxou o freio". Mas aos 44 minutos, David viu a oportunidade de fazer o segundo gol e, com liberdade, ajeitou e soltou o canudo. A bola passou raspando a trave de Jordi. A apresentação de sua equipe deixava o técnico Argel Fucks na bronca. Ele gesticulava muito na área técnica, reclamava muito e falava com os jogadores do CSA.
Aos 44 minutos, Bustamante recebeu o passe, arrancou em velocidade e tentou o chute. A bola explodiu em Fabrício Bruno e saiu em escanteio. O próprio camisa 18 cobrou, mandando na área e Cacá afastou o perigo. Na sequência, Castán fez novo cruzamento e a zaga celeste mandou novamente para escanteio. 
A primeira etapa foi até os 46 minutos, mas ainda deu tempo de o Azulão cobrar o escanteio. Bustamante foi novamente para a bola, cruzou na área e Cacá cortou o perigo mais uma vez. Na sequência, Carlinhos ainda tentou, mas o árbitro apitou o fim do primeiro tempo com a vitória parcial do Cruzeiro, por 1 a 0, em cima do CSA.
Segundo tempo
Cruzeiro do técnico Rogério Ceni passou a ficar retardando as jogadas, fazendo a famosa "cera"  
FOTO: AILTON CRUZ























Na volta para a etapa final, o CSA voltou com uma alteração: saiu Naldo para a entrada de Éuller, que é lateral esquerdo, mas vem trabalhando na armação com Argel Fucks e, inclusive, foi um dos destaques dos treinos da última semana.
O Cruzeiro do técnico Rogério Ceni praticava o chamado antijogo, parecendo que não queria jogar. Mas aos 5 minutos, a Raposa assustou. Thiago Neves cruzou da ponta esquerda, Marquinhos Gabriel chutou e Jordi mandou para escanteio, livrando o perigo. Aos 11 minutos, o Azulão deu um susto no goleiro cruzeirense, quando Carlinhos cruzou pela esquerda e Éuller subiu para cabecear. 
O Cruzeiro respondeu aos 13 minutos. Marquinhos Gabriel tabelou com Thiago Neves, o camisa 20 da Raposa deu uma cavadinha sobre Jordi e Alan Costa tirou praticamente em cima da linha.
CSA de Jean Kléber fez um jogo de dois tempos distintos: jogou ruim na primeira etapa e depois cresceu na segunda
FOTO: AILTON CRUZ























O CSA passou a incomodar o Cruzeiro. Aos 17 minutos, Jonatan Goméz deu uma cavadinha, Alecsandro mergulhou para cabecear e o goleiro Fábio fez a defesa. Mas o assistente tinha marcado o impedimento. O time alagoano insistia e, aos 21 minutos, Jonatan Goméz recebeu o passe na meia direita, chutou colocado e a bola quase entrou. Outro susto levou o goleiro Fábio. 
Aos 24 minutos, o Azulão assustou mais uma vez. Em boa jogada pela direita, Dawhan recebeu na área e tocou para Jonatan Gómez. O argentino, livre na grande área, chutou rasteiro, no meio do gol, e Fábio defendeu, salvando o Cruzeiro. No rebote, Marquinhos Gabriel afastou o perigo.
Aos 31 minutos, Alecsandro cabeceou da meia-lua e quase surpreendeu Fábio, goleiro cruzeirense que se esticou todo para defender. Aos 32 minutos, um episódio engraçado no Rei Pelé: um cachorro invadiu o gramado e driblou todo mundo, mas ele deixou logo o campo e seu momento de fama foi curto.
Momento fofo no jogo: cãozinho entrou no gramado, chamando a atenção dos jogadores das duas equipes, e a partida foi paralisada
FOTO: AILTON CRUZ
























Aos 35 minutos, o time mineiro tentou com Henrique. Ele recebeu o passe na intermediária, achou espaço e arriscou o chute, mas viu a bola passar sem perigo ao gol de Jordi. 
O técnico Argel Fucks promoveu as mudanças regulamentares no CSA, que melhorou muito no segundo tempo. Ele colocou Apodi no lugar de Jean Kléber e Victor Paraíba no lugar de Alecsandro - este que não disse para que foi a campo. O time azulino seguia em busca ao menos do gol de empate, mas não conseguia, pois seus jogadores ainda pecavam muito, não acertavam nas finalizações. 
Aos 44 minutos, Apodi recebeu o passe na entrada da área, achou espaço e arriscou. Mas o chute subiu muito e passou sem perigo. O árbitro deu cinco minutos de acréscimos e o Cruzeiro respondeu, já aos 47 minutos, quando Sassá arriscou de fora da área e a bola explode nas costas de Castán. E ainda aos 47 minutos, alguns torcedores do CSA já estavam deixando o estádio, sem querer assistir aos últimos minutos de jogo. 
Momento em que o CSA fez o seu gol de empate, com Apodi, já nos acréscimos da partida: 1 a 1
FOTO: AILTON CRUZ























Mas eis que, ao apagar das luzes, aos 48 minutos, o que parecia impossível aconteceu. Depois de tanto insistir, o Azulão chegou ao gol de empate. Edilson cortou mal a bola da grande área, Victor Paraíba ajeitou de cabeça, a redonda sobrou para Apodi, que deu um chute torto e a bola resvalou em Fabrício Bruno e foi morrer no fundo do gol. Tudo igual: 1 a 1.
E aos 50 minutos, com muita festa da torcida do Azulão no Rei Pelé, após o gol nos minutos finais, o árbitro decretou o final da partida. Estava garantido o empate do CSA: 1 a 1.
CSA - Jordi; Dawhan, Alan Costa, Luciano Castán e Carlinhos; Naldo (Éuller), Jean Kléber (Apodi), João Vitor e Jonatan Goméz; Alecsandro (Vitor Paraíba) e Héctor Bustamante. Técnico: Argel Fucks.
Cruzeiro - Fábio; Orejuela (Edílson), Cacá, Fabrício Bruno e Dodô; Henrique, Thiago Neves, Robinho (Jadson) e Marquinhos Gabriel; Fred (Sassá) e David. Técnico: Rogério Ceni.
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (CBF-RJ). 
Auxiliares: Luiz Cláudio Regazone (CBF-RJ) e Nailton Junior de Sousa Oliveira (CBF-RJ).
NM com Fernanda Medeiros

Nenhum comentário:

Postar um comentário