Image Map
Image Map
Image Map

PARCEIRO NA MIRA

sexta-feira, 10 de maio de 2019

Nilton e Maranhão são apresentados e creem em uma grande Série A para o Azulão

FOTO: MATHEUS PIMENTA/ASCOM CSA
Regularizados, o volante Nilton e o atacante Maranhão, novos reforços do CSA, já poderão ficar à disposição do técnico Marcelo Cabo para a partida contra o Avaí, neste domingo (12), às 19 horas, na Ressacada, em Florianópolis-SC, pela 4ª rodada do Brasileirão. Os dois jogadores, inclusive, foram apresentados oficialmente na tarde desta quinta-feira (9), após os treinamentos no CT do Mutange. 
Quem é quem
Nascido em São Luís-MA, o atacante Maranhão tem 29 anos. Defendeu clubes como Itaúna-MG, Bahia, Cruz Azul-MÉX, Athlético Paranaense, Daejeon Citizen-COR, Chapecoense, Fluminense, Ponte Preta e Goiás. E conquistou os títulos do Campeonato Goiano de 2018 e do Catarinense de 2016.
Já o volante Nilton, 32 anos, nasceu em Barrados Garças-MT. Jogou em equipes como Corinthians, Vasco, Cruzeiro, Internacional, Vissel Kobe-JAP e Bahia. E no currículo tem os seguintes títulos: Campeonato Brasileiro 2005, 2013 e 2014; Copa do Brasil 2011; Brasileiro da Série B 2008 e 2009, Campeonato Baiano 2018 e 2019; Campeonato Mineiro 2014; e Campeonato Gaúcho 2015.
Apresentado pelo setor de futebol do Azulão, Nilton e Maranhão foram os entrevistados na coletiva de imprensa desta tarde. Ambos participaram das atividades e Nilton foi escalado pelo treinador como titular na equipe. Por outro lado, foram poupados dos treinos o goleiro Jordi, o lateral Carlinhos e o zagueiro Luciano Castán. Mas eles não preocupam para o duelo de domingo.
Já desenhando a formação da equipe para o duelo de domingo, Marcelo Cabo mandou a campo o time titular com: João Carlos; Apodi, Leandro Souza, Gerson e Armero; Nilton, Naldo, Didira, Madson e Matheus Sávio; Cassiano.
Fala, Nilton!
FOTO: MATHEUS PIMENTA/ASCOM CSA
O volante que, de cara, já treinou no time titular, falou sobre a sua chegada e agradeceu à direção do CSA por ter-lhe aberto as portas e afirmou: "Eu trabalho muito com projetos, com coisas que vão estar agregando na minha vida profissional. Além de tudo existem pessoas qualificadas aqui, que mostraram pra mim que vai ser um ano de muito trabalho e esforço, em que vamos colher frutos. Agradeço ao Fabiano, ao Raimundo (dirigentes), ao Rafael (presidente do CSA)".
Sobre a saída do Bahia, onde não teve muitas oportunidades no time, ele falou: "A gente tem que continuar a nossa carreira e espero que por onde eu passar deixar boa imagem. Todo ano a gente tem que procurar deixar algo pelo clube, títulos, boa imagem, porque o atleta só é lembrado desta forma, quando fica marcado na história do time, com títulos, boa índole".
Ele já começou a treinar nessa quarta-feira (8) e nesta quinta (9) também participou dos treinamentos. Nilton afirmou que conhece alguns jogadores do elenco, pois já jogou contra. E que aos poucos vai conhecendo os demais e se identificando com o grupo.
"No decorrer a gente tem que se acostumar com os companheiros e, aos poucos, o professor Marcelo (Cabo) vai vendo a melhor forma, a melhor equipe, para poder ver o que pode encaixar no time e poder encarar o Avaí lá fora", disse o jogador, revelando poder atuar tanto como primeiro quanto como segundo volante.
"Eu vim para tentar ajudar da forma que seja melhor para a equipe, tanto como primeiro quanto como segundo volante, fazendo as duas funções, por ter qualidade no passe. No decorrer da partida posso ter um posicionamento mais como primeiro, para ajudar a equipe a sair com mais velocidade. E eu espero poder mostrar o meu futebol como nos outros anos, em outras equipes".
E garantiu: "Espero mostrar pra torcida que eu vou dar o meu máximo em todos os jogos e que eu possa cair nas graças da torcida e ajudar o time. Eu vim aqui, não para decidir, mas para agregar ao grupo, para ser mais uma peça, para montar esse quebra-cabeça porque não vai ser fácil jogar uma Série A. Vamos encontrar equipes qualificadas, mas elas também têm que saber o peso da mão da equipe do CSA".
Fala, Maranhão!
FOTO: MATHEUS PIMENTA/ASCOM CSA

Já o atacante Maranhão falou sobre como será a briga pela titularidade na equipe azulina, com tantos concorrentes: "Quem estiver melhor no momento será titular. Todo time que eu passo, eu sempre me dedico ao máximo. Eu jogo muito pro time, e sempre vou lutar pela titularidade".
Maranhão também revelou suas características em campo, afirmando que ajuda muito o time, colocando o companheiro da camisa 9 na cara do gol. "Ao longo da minha carreira eu sempre dei muitas assistências para o gol. Espero que este ano eu faça mais gols do que no ano passado pelo Goiás e que eu deixe meus companheiros na cara do gol. Essa é a minha principal característica: deixar o camisa nove na cara do gol".
Ao final da entrevista, ambos falaram sobre como é lidar com a responsabilidade de ter que fortalecer ainda mais o elenco no Brasileirão. "Estou indo para a minha sexta Série A e penso que a responsabilidade é de todos. Eu vim para ajudar a equipe e o CSA vai fazer um grande campeonato. O grupo é muito unido e creio que vai dar tudo certo", disse Maranhão. 
Enquanto Nilton respondeu: "As contratações foram pontuais, pela dificuldade do Brasileiro. No elenco, em cada posição, tem que ter de dois a três jogadores, fazendo aquela sombra, ajudando o companheiro e o CSA, até porque é um campeonato que exige muito e todo mundo vai ter oportunidade. Isso vai ser muito importante". 
Sobre a expectativa de participar da Série A, ele falou: "É um campeonato longo, exige muito do atleta. Vou tentar colocar em prática todas as minhas características, um passe, um lançamento de longa distância, que são importantes numa partida, uma bola parada. São algumas características que adquiri e consegui me destacar. Aqui não vai ser diferente".
Nilton disse que as vitórias são o mais importante nesta difícil competição, em meio a tantas grandes equipes. "A atuação a gente sempre quer que seja melhor, mas as vitórias são mais importantes, então, que possamos pontuar, porque é um campeonato que tem que pontuar, evitar de perder esses pontos bobos, principalmente em casa, pois temos que fazer o dever de casa, que é somar os três pontos, e, fora de casa, se der, fazer um ponto, que é importante também", encerrou.
NM com Fernanda Medeiros

Nenhum comentário:

Postar um comentário