Image Map
Image Map
Image Map

PARCEIRO NA MIRA

domingo, 5 de maio de 2019

CSA desperdiça chances e empata sem gols com o Santos no Rei Pelé

FOTO: AILTON CRUZ/GAZETA DE ALAGOAS
O CSA conquistou mais um ponto importante na luta pela permanência na Série A do Campeonato Brasileiro da próxima temporada. Com uma grande atuação do goleiro Jordi, o Azulão ficou no empate sem gols com o Santos, neste domingo (5), no Estádio Rei Pelé, em jogo válido pela 3ª rodada do Brasileirão.
Com o resultado, o Azulão chegou aos dois pontos, subiu duas posições e deixou momentaneamente a zona de rebaixamento, assumindo a 16ª colocação. Por outro lado, o Santos perdeu os 100% de aproveitamento na competição e agora figura na 4ª posição da tabela de classificação.
Agora, o CSA ganha uma semana de treinos e volta a jogar somente no próximo domingo (12), quando vai encarar o Avaí, na Ressacada, em Florianópolis-SC, às 19h, pela sequência da Série A. No mesmo dia, o Santos recebe a visita do Vasco, na Vila Belmiro, às 16h.

CSA 0x0 Santos - Brasileirão
Confira os melhores momentos da partida válida pela 3ª rodada do Campeonato Brasileiro 2019


Nem lá nem cá
O primeiro tempo começou movimentado e foi o Santos que logo chegou ao ataque com apenas um minuto. Victor Ferraz foi lançado, invadiu à área, passou por Luciano Castán, mas foi surpreendido por Jordi que saiu do gol e tomou a redonda dos pés do lateral alvinegro.
Ao bom estilo Sampaoli, o Peixe trocava passes com paciência e envolvia o Azulão, que fechadinho, apostava nos contra-ataques. Aos 17 minutos, Jorge cobrou escanteio, o zagueiro Gustavo Henrique ganhou da zaga maruja e testou no centro do gol para a defesa de Jordi.
Marcação cerrada: Lucas Veríssimo e Jorge Sampaoli em cima de Matheus Sávio
FOTO: AILTON CRUZ/GAZETA DE ALAGOAS





















Apesar do domínio no meio-campo do Santos, o CSA se defendia bem, não deixava espaços e quase abriu o marcador aos 25 minutos com Apodi, fazendo valer a estratégia adotada por Marcelo Cabo, de jogar por uma bola. 
Ele recebeu lançamento na ponta-direita, ganhou na velocidade de Victor Ferraz e bateu cruzado, a bola quicou e Vanderlei foi obrigado a espalmar com a ponta dos dedos para salvar o Peixe.
Lateral Apodi ganha na velocidade de Victor Ferraz, antes de soltar um foguete contra a meta santista
FOTO: AILTON CRUZ/GAZETA DE ALAGOAS





















Aos 34 minutos, Jordi começou a mostrar porque seria o nome da partida no Rei Pelé. Ótima trama do ataque santista, a bola chegou até Rodrygo dentro da área, ele bateu forte e o goleiro azulino defendeu. No rebote, Jorge emendou de canhota, Jordi desviou na redonda de mão trocada e ela beijou o poste esquerdo marujo.
Jordi salta e de mão trocada faz uma grande defesa no chute de Jorge
FOTO: AILTON CRUZ/GAZETA DE ALAGOAS





















Dois minutos depois, Marcelo Cabo tirou Bruno Ramires e colocou Dawhan no gramado A substituição azulina deu mais agilidade ao meio-campo e ajudou a conter a inteligência de Cueva, que passou a ser anulado no jogo.
Paredão marujo e chance no final
Apesar de não abdicar da estratégia de jogar fechado, o CSA voltou mais solto no segundo tempo e chegou mais ao campo ofensivo. Aos 7 minutos, Cassiano que, mal havia tocado na bola na primeira etapa, apareceu nas costas da zaga santista e soltou uma bomba, mas a bola foi na rede por fora.
Goleiro Vanderlei levou a melhor no duelo com Cassiano no Rei Pelé
FOTO: AILTON CRUZ/GAZETA DE ALAGOAS





















Na sequência, o Peixe respondeu com Jean Lucas. Ele recebeu na entrada da área, ajeitou o corpo e bateu forte de canhota, Jordi atento, fez a defesa no centro do gol. Querendo mais presença no ataque, Sampaoli colocou Solteldo na vaga de Cueva e o meia Jean Mota no lugar do zagueiro Lucas Veríssimo. 
A mudança surtiu efeito e aos 19 minutos por pouco não saiu um golaço alvinegro no Trapichão. Jean Mota recebeu na meia-lua da grande área e soltou uma pancada de canhota, mas a tarde era de Jordi, e o goleiro do CSA espalmou para escanteio.
Jordi defende pancada pelo lado de esquerdo de ataque do Santos
FOTO: AILTON CRUZ/GAZETA DE ALAGOAS





















O Santos seguia encurralando o Azulão e quase marcou em dois lances seguidos. No primeiro, aos 29 minutos, Soteldo cruzou rasteiro da esquerda e, antes que Derlis González completasse a jogada, Gerson apareceu e fez o corte. Já aos 32 foi a vez de Didira salvar os azulinos, travando um chute de Rodrygo, depois de mais uma boa defesa de Jordi.
Quando parecia que o gol santista iria sair, foi o CSA quem desperdiçou a melhor chance da partida aos 34 minutos. O meia Victor Paraíba - que havia entrado na vaga de Naldo - recebeu um passe açucarado de Didira, driblou Vanderlei, mas na hora da finalização, mandou para fora, deixando preso o grito de "gol" no torcedor azulino nas arquibancadas.
Victor Paraíba deixa goleiro Vanderlei na saudade, antes de finalizar para fora
FOTO: AILTON CRUZ/GAZETA DE ALAGOAS






















Paraíba voltaria a ficar cara a cara com o goleiro do Peixe sete minutos depois, mas o arqueiro santista mais uma vez levou a melhor e defendeu o chute rasteiro do garoto do CSA. Fim de papo no Rei Pelé: CSA 0x0 Santos.
CSA: Jordi; Apodi, Gerson, Luciano Castán e Carlinhos (Pablo Armero); Bruno Ramires (Dawhan), Naldo (Victor Paraíba), Didira, Madson e Matheus Sávio; Cassiano.
Técnico: Marcelo Cabo
Santos: Vanderlei; Lucas Veríssimo (Jean Mota), Aguilar e Gustavo Henrique; Victor Ferraz, Diego Pituca, Jean Lucas e Jorge; Cueva (Soteldo), Rodrygo e Eduardo Sasha (Derlis González).
Técnico: Jorge Sampaoli.
NM com Isaac Simões

Nenhum comentário:

Postar um comentário