Image Map
Image Map
Image Map
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui

domingo, 5 de maio de 2019

CSA desperdiça chances e empata sem gols com o Santos no Rei Pelé

FOTO: AILTON CRUZ/GAZETA DE ALAGOAS
O CSA conquistou mais um ponto importante na luta pela permanência na Série A do Campeonato Brasileiro da próxima temporada. Com uma grande atuação do goleiro Jordi, o Azulão ficou no empate sem gols com o Santos, neste domingo (5), no Estádio Rei Pelé, em jogo válido pela 3ª rodada do Brasileirão.
Com o resultado, o Azulão chegou aos dois pontos, subiu duas posições e deixou momentaneamente a zona de rebaixamento, assumindo a 16ª colocação. Por outro lado, o Santos perdeu os 100% de aproveitamento na competição e agora figura na 4ª posição da tabela de classificação.
Agora, o CSA ganha uma semana de treinos e volta a jogar somente no próximo domingo (12), quando vai encarar o Avaí, na Ressacada, em Florianópolis-SC, às 19h, pela sequência da Série A. No mesmo dia, o Santos recebe a visita do Vasco, na Vila Belmiro, às 16h.

CSA 0x0 Santos - Brasileirão
Confira os melhores momentos da partida válida pela 3ª rodada do Campeonato Brasileiro 2019


Nem lá nem cá
O primeiro tempo começou movimentado e foi o Santos que logo chegou ao ataque com apenas um minuto. Victor Ferraz foi lançado, invadiu à área, passou por Luciano Castán, mas foi surpreendido por Jordi que saiu do gol e tomou a redonda dos pés do lateral alvinegro.
Ao bom estilo Sampaoli, o Peixe trocava passes com paciência e envolvia o Azulão, que fechadinho, apostava nos contra-ataques. Aos 17 minutos, Jorge cobrou escanteio, o zagueiro Gustavo Henrique ganhou da zaga maruja e testou no centro do gol para a defesa de Jordi.
Marcação cerrada: Lucas Veríssimo e Jorge Sampaoli em cima de Matheus Sávio
FOTO: AILTON CRUZ/GAZETA DE ALAGOAS





















Apesar do domínio no meio-campo do Santos, o CSA se defendia bem, não deixava espaços e quase abriu o marcador aos 25 minutos com Apodi, fazendo valer a estratégia adotada por Marcelo Cabo, de jogar por uma bola. 
Ele recebeu lançamento na ponta-direita, ganhou na velocidade de Victor Ferraz e bateu cruzado, a bola quicou e Vanderlei foi obrigado a espalmar com a ponta dos dedos para salvar o Peixe.
Lateral Apodi ganha na velocidade de Victor Ferraz, antes de soltar um foguete contra a meta santista
FOTO: AILTON CRUZ/GAZETA DE ALAGOAS





















Aos 34 minutos, Jordi começou a mostrar porque seria o nome da partida no Rei Pelé. Ótima trama do ataque santista, a bola chegou até Rodrygo dentro da área, ele bateu forte e o goleiro azulino defendeu. No rebote, Jorge emendou de canhota, Jordi desviou na redonda de mão trocada e ela beijou o poste esquerdo marujo.
Jordi salta e de mão trocada faz uma grande defesa no chute de Jorge
FOTO: AILTON CRUZ/GAZETA DE ALAGOAS





















Dois minutos depois, Marcelo Cabo tirou Bruno Ramires e colocou Dawhan no gramado A substituição azulina deu mais agilidade ao meio-campo e ajudou a conter a inteligência de Cueva, que passou a ser anulado no jogo.
Paredão marujo e chance no final
Apesar de não abdicar da estratégia de jogar fechado, o CSA voltou mais solto no segundo tempo e chegou mais ao campo ofensivo. Aos 7 minutos, Cassiano que, mal havia tocado na bola na primeira etapa, apareceu nas costas da zaga santista e soltou uma bomba, mas a bola foi na rede por fora.
Goleiro Vanderlei levou a melhor no duelo com Cassiano no Rei Pelé
FOTO: AILTON CRUZ/GAZETA DE ALAGOAS





















Na sequência, o Peixe respondeu com Jean Lucas. Ele recebeu na entrada da área, ajeitou o corpo e bateu forte de canhota, Jordi atento, fez a defesa no centro do gol. Querendo mais presença no ataque, Sampaoli colocou Solteldo na vaga de Cueva e o meia Jean Mota no lugar do zagueiro Lucas Veríssimo. 
A mudança surtiu efeito e aos 19 minutos por pouco não saiu um golaço alvinegro no Trapichão. Jean Mota recebeu na meia-lua da grande área e soltou uma pancada de canhota, mas a tarde era de Jordi, e o goleiro do CSA espalmou para escanteio.
Jordi defende pancada pelo lado de esquerdo de ataque do Santos
FOTO: AILTON CRUZ/GAZETA DE ALAGOAS





















O Santos seguia encurralando o Azulão e quase marcou em dois lances seguidos. No primeiro, aos 29 minutos, Soteldo cruzou rasteiro da esquerda e, antes que Derlis González completasse a jogada, Gerson apareceu e fez o corte. Já aos 32 foi a vez de Didira salvar os azulinos, travando um chute de Rodrygo, depois de mais uma boa defesa de Jordi.
Quando parecia que o gol santista iria sair, foi o CSA quem desperdiçou a melhor chance da partida aos 34 minutos. O meia Victor Paraíba - que havia entrado na vaga de Naldo - recebeu um passe açucarado de Didira, driblou Vanderlei, mas na hora da finalização, mandou para fora, deixando preso o grito de "gol" no torcedor azulino nas arquibancadas.
Victor Paraíba deixa goleiro Vanderlei na saudade, antes de finalizar para fora
FOTO: AILTON CRUZ/GAZETA DE ALAGOAS






















Paraíba voltaria a ficar cara a cara com o goleiro do Peixe sete minutos depois, mas o arqueiro santista mais uma vez levou a melhor e defendeu o chute rasteiro do garoto do CSA. Fim de papo no Rei Pelé: CSA 0x0 Santos.
CSA: Jordi; Apodi, Gerson, Luciano Castán e Carlinhos (Pablo Armero); Bruno Ramires (Dawhan), Naldo (Victor Paraíba), Didira, Madson e Matheus Sávio; Cassiano.
Técnico: Marcelo Cabo
Santos: Vanderlei; Lucas Veríssimo (Jean Mota), Aguilar e Gustavo Henrique; Victor Ferraz, Diego Pituca, Jean Lucas e Jorge; Cueva (Soteldo), Rodrygo e Eduardo Sasha (Derlis González).
Técnico: Jorge Sampaoli.
NM com Isaac Simões

Nenhum comentário:

Postar um comentário