Image Map
Image Map
Image Map
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui

sexta-feira, 5 de abril de 2019

Zé Carlos alcança a marca de 114 jogos e 52 gols com a camisa do CRB

FOTO: AILTON CRUZ
O atacante Zé Carlos completa 114 jogos com a camisa do CRB e com 52 gols marcados. E ele foi o escolhido pelo clube para conceder entrevista coletiva, na tarde desta quinta-feira (4), no CT Ninho do Galo. Sobre esta marca, Zé dos Gols falou que se sente muito feliz e que não vai parar por aí. Quer muito mais e vai em busca de seus objetivos.
"Fico muito feliz de ter batido mais uma marca aqui, vestindo a camisa do clube do coração. Quando o Inha (ex-jogador do CRB que também chegou a essa marca histórica de 52 gols com a camisa do clube) jogava aqui eu era garoto, era torcedor, ia ao estádio, acompanhava. Para mim é uma satisfação muito grande dividir esta marca com o Inha e com o Júnior Amorim (outro atacante que alcançou a marca de artilheiro no Galo), como um dos maiores artilheiros da história do CRB", afirmou.
Zé Carlos agradeceu aos companheiros de clube, aos funcionários e à diretoria e afirmou que a vitória é de todos. "Quero agradecer a todos os meus companheiros, do tempo que eu cheguei aqui de 2015 até hoje. À diretoria, aos funcionários, que eu sempre os trato como uma família, pois todos são importantes na minha carreira", acrescentou.
Sobre se queria alcançar algo diferente no futebol, com a camisa do CRB, Zé Carlos disse que todo torcedor tem o sonho de conquistar o acesso, a 1ª divisão nacional. "Isso é um sonho da minha carreira, da minha vida, mas isso será lá na frente. O torcedor tem comparecido, tem cobrado, temos feito bons jogos e esperamos continuar e que o nosso torcedor compareça para incentivar, porque a gente precisa desse apoio. Estamos no caminho certo, em três competições e estou muito consciente do que eu posso fazer e ajudar".
No meio das alegrias com as conquistas, ele citou que o momento mais difícil dele, na carreira, se deu no começo da Série B de 2015. "Fomos campeões alagoanos e depois não consegui começar tão bem a Série B, e veio a chegada do professor Mazola (técnico) que me ajudou bastante. E no jogo contra o Paysandu e o Macaé, quando fiz três gols em cada jogo, foi uma das coisas mais marcantes na minha vida. E depois o gol da final contra o Coruripe. E eu não vou parar por aí, eu quero mais. Isso me dá a ambição de trabalhar mais forte, de querer mais e é isso que vou buscar aqui com meus companheiros", encerrou.
NM com Fernanda Medeiros

Nenhum comentário:

Postar um comentário