Image Map
Image Map
Image Map

sexta-feira, 23 de novembro de 2018

CSA goleia o Juventude por 4 a 0 e está de volta à Série A do Brasileirão

FOTO: THIAGO PARMALAT/R.CORTEZ/CSA
O CSA está na Série A do Brasileiro! Desde 1986 sem disputar à elite do futebol nacional, o Azulão garantiu seu acesso neste sábado (24), após golear o Juventude, pelo placar de 4 a 0, no Estádio Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul-RS, pela última rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. No jogo da vida, no duelo considerado por muitos como o mais importante do CSA nos últimos anos, Jhon Cley abriu o placar para os azulinos, no primeiro tempo, e Neto Berola, que saiu do banco de reservas, fez os outros três gols, na etapa final, fechando a goleada.
Ao final do jogo, ainda no gramado, Neto Berola agradeceu a Deus pela conquista e disse em entrevista que queria pedir uma música no Fantástico, da TV Globo, neste domingo, já que fez três gols. "Eu acho que mereço uma música, não é? Eu ia pedir o louvor do meu amigo Leandrinho Souza: "Todavia me Alegrarei", revelou o jogador.
Além de conquistar o acesso, o CSA sagrou-se vice-campeão da Série B, pois encerrou a competição com 62 pontos na tabela, nove pontos atrás do campeão Fortaleza. Já o Juventude, que já estava rebaixado à Série C, se despediu com 35 pontos, na vice-lanterna.

Em Maceió, torcedor azulino acompanhou a partida por um telão no CT Gustavo Paiva
FOTO: ASCOM/CSA

























Com mais esta ascensão, o CSA se consagra como o primeiro clube brasileiro a conquistar três acessos de maneira consecutiva no Campeonato Brasileiro, além de se tornar o clube alagoano de melhor campanha na Segunda Divisão Nacional. 
O Jogo
A primeira boa chance foi do CSA. Aos 2 minutos, Rafinha desceu pela esquerda, cruzou rasteiro, Walter ajeitou e Hugo Cabral finalizou de primeira, obrigando o goleiro Douglas a espalmar para o lado, salvando o Juventude, que respondeu logo aos 5 minutos. O meia Tony avançou pela esquerda, levantou de cabeça e cruzou de trivela. Hugo Sanches, de peixinho, por pouco não abriu o placar para os donos da casa.
Hugo Cabral deu trabalho aos gaúchos pelo lado esquerdo de ataque
FOTO: THIAGO PARMALAT/RCORTEZ/CSA

























Apesar de o campo estar um pouco pesado, por causa do tempo chuvoso em Caxias do Sul, a partida era equilibrada em Caxias do Sul. O Azulão investia na velocidade pelo lado esquerdo, com Hugo Cabral, enquanto o Juventude já levou perigo ao adversário na bola aérea. Aos 14 minutos, o Juventude chegou com perigo, mandando um foguete de Esquerdinha. Ele soltou a canhota da intermediária e obrigou o goleiro Lucas Frigeri a efetuar grande defesa. A bola iria no ângulo superior esquerdo de Frigeri.
Aos 17 minutos, foi a vez do CSA. Pio mandou uma pancada, ao cobrar uma falta, e Douglas fez uma grande defesa. O CSA pressionava e aos 18 minutos, Hugo Cabral avançou pela esquerda, livrou-se da marcação de Vidal e chutou, mas viu o goleiro espalmar para escanteio.
Meia Jhon Cley comemora o primeiro gol azulino em Caxias
FOTO: THIAGO PARMALAT/R. CORTEZ/CSA
























De tanto pressionar, o CSA conseguiu abrir o marcador aos 19 minutos. Após cobrança venenosa de escanteio de Pio, Jhon Cley subiu mais alto que a marcação e testou no canto esquerdo de Douglas. A bola ainda tocou na trave, antes de morrer no fundo da rede: 1 a 0.
Aos 27 minutos, o mesmo Jhon Cley tentou avançar pelo meio e sofreu uma falta que, após ser cobrada, Didira deixou para Celsinho que soltou uma bomba, rasteira, e o goleiro do Juventude defendeu com dificuldade.
O CSA era melhor na partida, sempre procurando finalizar. Tinha mais volume de jogo e chegava fácil ao gol adversário. Mas aos 37 minutos a boa chance foi do Juventude. Tony serviu a Leandro Lima, que finalizou colocado, da entrada da área, e mandou à direita de Lucas Frigeri.
Volante Dawhan tenta recuperar bola para o Azulão no meio-campo
FOTO: THIAGO PARMALAT/RCORTEZ/CSA

























O Azulão teve uma boa jogada aos 41 minutos, quando Jhon Cley puxou contra-ataque pela meia esquerda e serviu ao volante Pio, que avançou pelo corredor central, tabelou com Walter e ajeitou para Hugo Cabral, que bateu colocado e a bola foi para fora.
O 1º tempo foi até os 47 minutos e o time azulino segurou a vitória até o apito do árbitro Rodolpho Toski Marques.
A Goleada
No segundo tempo, aos 15 minutos, o técnico Marcelo Cabo colocou Neto Berola em campo, no lugar do atacante Walter. E deu certo, pois aos 15 minutos, Berola balançou a rede do Juventude, ampliando o marcador para o Azulão. Aos 18 minutos, Neto Berola apostou na jogada individual, dividiu com Tony e a bola acabou sobrando limpa para o atacante azulino tocar por cima do goleiro Douglas. Sem chance: Azulão 2 a 0.
Neto Berola estava impossível. Aos 22 minutos, ele fez o seu segundo gol na partida e o terceiro do CSA. Após o zagueiro Wagner falhar e a bola sobrar para Neto Berola, ele percebeu o goleiro adiantado e soltou uma bomba de longe. A bola foi morrer no cantinho direito, ampliando o marcador para o CSA: 3 a 0. A essa altura, o torcedor azulino gritava e cantava alto nas arquibancadas do Alfredo Jaconi, fazendo a festa em azul e branco.
Aos 34 minutos, quase o Azulão fez o quarto gol. Hugo Cabral recebeu na ponta-esquerda, levou para dentro e finalizou buscando o ângulo esquerdo de Douglas, mas a bola passou raspando o travessão e foi para fora.
A goleada em Caxias do Sul estava sendo desenhada e se concretizou aos 38 minutos. Neto Berola - ele de novo - passou como uma bala pela defesa do Juventude, fintou quatro marcadores e tocou, na saída do goleiro Douglas: 4 a 0. Um golaço de Neto Berola!
A partir daí, com a vitória já sacramentada, o Azulão só fez administrar a goleada e esperar o árbitro apitar o final da partida para comemorar a conquista do acesso à Série A do Campeonato Brasileiro de 2019.
Juventude - Douglas Silva; Vidal (Douglas Kemmer), Vinícius (Queiroz), Wagner e Esquerdinha; Amaral, Felipe Mattioni, Tony e Leandro Lima (Gabriel Velentini); Denner e Hugo Sanches. Técnico: Luiz Carlos Winck.
CSA - Lucas Frigeri; Celsinho, Elivelton, Matheus Lopes e Rafinha; Dawhan, Pio e Didira; Jhon Cley (Juan), Hugo Cabral (Rony) e Walter (Neto Berola). Técnico: Marcelo Cabo.
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (Fifa-PR). 
Auxiliares: Bruno Boschilia (Fifa-PR) e Victor Hugo Imazu do Santos (CBF-PR).
NM com Fernanda Medeiros e Isaac Simões

Nenhum comentário:

Postar um comentário