Image Map
Image Map
Image Map
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

CRB: falta de pontaria preocupa Roberto Fernandes na reta final da Série B

FOTO: AILTON CRUZ
O CRB chegou ao sétimo jogo seguido sem vitória neste returno do Campeonato Brasileiro da Série B. Nessa terça-feira (10), o Galo foi até Belém-PA e empatou com o Paysandu em 1x1, no Estádio da Curuzu. O resultado fez o time regatiano chegar aos 32 pontos e sair momentaneamente da zona de rebaixamento - agora, é o 16º colocado. Após a partida, o técnico Roberto Fernandes demonstrou preocupação com a falta de pontaria do Galo, que ainda divide com o Juventude o pior ataque da competição, com apenas 22 gols marcados.
- Dos jogos restantes, nós temos quatro em casa. Então, se o CRB fizer valer o seu mando de campo, seguramente a gente vai garantir a permanência. Este vai ser o foco desta semana de trabalho, para que a gente calibre a nossa pontaria, porque o que mais nos preocupa é termos o pior ataque da competição. Até o Boa [Esporte], que está na lanterna, tem mais gols que o CRB. A gente precisa melhorar nossas finalizações para que possamos nos aproximar das vitórias.
Neto Baiano não marca desde o empate com o Guarani, ainda pela 26ª rodada da Série B
FOTO: AILTON CRUZ/GAZETA DE ALAGOAS

























De fato, para escapar do rebaixamento, os jogadores do CRB precisarão calibrar o pé nesta reta final. Para se ter uma ideia, somente Rafael Carioca conseguiu balançar as redes em favor do Galo nos últimos três jogos. Até o atacante Neto Baiano - artilheiro do time, com seis gols - está devendo. Ele não marca desde a 26ª rodada, quando o Regatas empatou em 1x1 com o Guarani-SP, no Rei Pelé.
Ainda em solo paraense, o técnico Roberto Fernandes disse que, agora, não mais adianta cobrar regularidade do CRB. Segundo ele, o momento é de fazer ajustes a cada partida, de acordo com o adversário.
- Time que mantém regularidade no campeonato não está na zona de rebaixamento. Quando uma equipe contrata um treinador para fazer 10 jogos finais de uma temporada é porque o negócio está desarrumado. Então, você tem que dançar conforme a música. O que todo treinador quer, inclusive eu, é ter uma equipe que jogue contra qualquer adversário dentro ou fora de casa. E quem está na zona de rebaixamento não fez isso durante o ano. Não será agora que irá fazê-lo. Então, nós vamos atuar até o final dessa forma, pensando jogo a jogo e fazendo os ajustes conforme o adversário que estiver na nossa frente.
Fernandes também fez questão de valorizar o resultado em Belém, ressaltando a dificuldade de encarar o Papão diante do torcedor paraense.
- Foi um resultado importantíssimo porque era um confronto direito. O CRB vem a Belém e consegue voltar para Maceió fora da zona de rebaixamento. É óbvio que o ideal era a vitória, mas a gente sabe como é que funciona. Não jogamos contra qualquer equipe. Apesar da campanha, o Paysandu tem bons jogadores. Nós conhecemos a tradição do Paysandu, a torcida do Paysandu e o quanto é difícil jogar aqui na Curuzu. Nós viemos para cá com o objetivo inicial de não deixar o Paysandu nos ultrapassar.
Para permanecer fora do Z4, o CRB precisará secar o Juventude (18º, com 32 pontos) e o Sampaio Corrêa (19º, com 29). O time gaúcho recebe o Goiás às 19h15 da próxima sexta-feira (12), no Alfredo Jaconi. Se pontuar em casa, o time de caxias vai ultrapassar o Galo. 
No mesmo dia, o Sampaio vai encarar o Atlético Goianiense, em Goiânia. Qualquer vitória coloca o time maranhense à frente do CRB.
NM com Isaac Simões

Nenhum comentário:

Postar um comentário