Image Map
Image Map
Image Map

sábado, 8 de setembro de 2018

CSA derrota o Figueirense de virada no Estádio Orlando Scarpelli: 2 a 1

FOTO: REPRODUÇÃO/PREMIERE
Foi de virada a primeira vitória do CSA fora de casa nos chamados jogos da volta do Campeonato Brasileiro da Série B. Porém, mais importante que isso o placar de 2x1 sobre o Figueirense neste sábado (8), no Estádio Orlando Scarpelli, confirma a manutenção matemática do Azulão na temporada 2019 da segunda divisão do futebol nacional. E de quebra encosta no Fortaleza, que esta tarde foi derrotado pelo Criciúma. O tricolor cearense segue líder, com 47, e o time do técnico Marcelo Cabo se mantém em segundo, só que agora com 46 pontos.
Os gols da vitória azulina foram assinalados por defensores: zagueiro Matheus Lopes e o volante Dawhan. Descontou para o Figueira o atacante Elton. O CSA já volta a campo na próxima terça-feira (11) para receber a visita do Vila Nova, às 19h. O Figueirense, que permanece na sétima posição, com 38 pontos, segue em casa para na sexta-feira (14), às 20h30, enfrentar o São Bento.
O jogo
Ultimamente, como visitante, o CSA só havia perdido. E sem três titulares - Celsinho, Didira e Daniel Costa -, suspensos pelo terceiro cartão amarelo recebido diante do Londrina, o Azulão sentiu o ritmo nos minutos iniciais e disso o Figueirense tirou proveito para abrir o placar logo aos 10 minutos. Após sequência de escanteios, em mais um tiro esquinado, da direita, veio o centro executado pelo lateral Diego Renan, que achou o atacante Elton livre de marcação no segundo pau para tocar no canto direito do goleiro Felipe Garcia, à meia altura.
Placar aberto, o Figueirense seguiu dominando as ações e o CSA só chegou pela primeira vez na área adversária aos 18 minutos com Echeverría, que porém pegou mal na bola e proporcionou mais um tiro de meta para o adversário.
O gol de empate do CSA, aos 25 minutos, começou com um lance curioso. Ao se lançar ao ataque, o Azulão ia perdendo a bola quando o atacante Rubens mergulhou e praticamente deitado deu um passe de cabeça que gerou em escanteio pela direita. O volante Pio foi para a cobrança, fez o centro no segundo pau, a zaga do Figueirense cortou mal e a bola caiu à mercê de três jogadores azulinos. O toque final foi do zagueiro Matheus Lopes e a bola passou entre as pernas do arqueiro Dênis para estufar a rede.
O CSA poderia ter virado o placar ainda no 2º tempo. Novamente Pio, só que desta vez de falta, da intermediária. Figueirense não quis barreira, mas o zagueiro Nogueira, ao meter a cabeça na bola para praticar a defesa, viu ela desviar e passar rente ao travessão, lado esquerdo e com o seu goleiro completamente batido até porque se projetava para o lado oposto.
O 2º tempo começou com o Figueirense com proposta mais ofensiva porque o treinador Milton Cruz trocou o volante Zé Antônio pelo atacante Jorge Henrique. Mas ao contrário da etapa inicial o CSA começou a fase final adiantando as suas linhas e equilibrando as ações. Aos 4?, Juan, de fora da área, soltou o petardo obrigando o arqueiro Dênis a defender em dois tempos.
O Figueirense voltou ao jogo aos 15 minutos em jogada que quase gera gol de placa. Escanteio da direita, Felipe Garcia espalmou para sua própria área e Elton acertou uma bicicleta para o azulino agora espalmar sobre o seu travessão. Começava a brilhar o goleiro Garcia.
Aos 18 quase que o Figueira dá um presente para o CSA. A bola foi atrasada da maneira curta e obrigou o goleiro Dênis a sair da área para evitar a chegada do atacante Rubens, que chegava para a finalização.
Bem postado na defesa, e contando com o apoio de três volantes na marcação, o CSA foi se safando até que aos 31 minutos encaixou um contra-ataque pela esquerda, invadiu a área do Figueira. Daí saiu a finalização de Echeverría para defesa parcial de Dênis. O CSA pegou o rebote e um minuto após virou o placar. O lance final veio de uma cabeçada de Pio, na direita, que encontrou Dawhan chegando para finalizar de primeira. Goleiro Dênis tentou amortecer junto a sua perna direita, mas a bola escapuliu e entrou no seu canto direito.
Tudo isso foi dentro da área do Figueira, que se lançou de vez ao ataque com mais uma troca do seu técnico ao colocar, na última substituição, o atacante Maikon Leite em lugar do lateral-direito Diego Renan. Do lado do CSA, o técnico Marcelo Cabo foi fortalecendo a marcação com as trocas de Echeverría por Muriel e Rubens por Xandão.
Com isso, pressão total do Figueirense, mas a tarde era mesmo do goleiro Felipe Garcia que voltou a praticar outras boas defesas e, com isso, o Azulão saiu de campo com uma grande vitória aos 51 minutos do 2º tempo, já que, no fim da partida, o árbitro Rafael Traci-PR deu seis minutos de acréscimos.
NM com Francisco Cardoso

Nenhum comentário:

Postar um comentário