Image Map
Image Map
Image Map
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui

sexta-feira, 22 de junho de 2018

CENTRAL DA COPA: No sufoco! Coutinho e Neymar marcam no fim e Brasil vence a Costa Rica


Rússia - Foi sofrido, foi dramático, com direito a pênalti anulado pelo árbitro de vídeo, mas com dois gols nos acréscimos, de Philippe Coutinho e Neymar, o Brasil venceu a Costa Rica por 2 a 0, no Estádio de São Petersburgo e respira mais aliviado no Grupo E da Copa do Mundo, com quatro pontos. Após uma péssima atuação no primeiro tempo contra uma forte retranca, a Seleção melhorou bastante com a entrada de Douglas Costa na segunda etapa, criou inúmeras chances, parou no goleiro Navas, na má pontaria e, mesmo assim, poderia ter sido menos sofrido se a arbitragem não tivesse anulado uma falta no camisa 10 pela TV.


Neymar, inclusive, foi um caso à parte nesta partida. Com dores no tornozelo direito, desde o início mostrou mobilidade muito inferior ao normal. Apresentou-se para o jogo e foi mal boa parte dos lances. Uma dura entrada sofrida no outro tornozelo piorou ainda mais. O camisa 10 tinha muitas dificuldades para sair da marcação. Mesmo assim, criou algumas chances, errando nas finalizações. Tornou-se personagem do jogo ao sofrer um pênalti aos 32 minutos, após boa arrancada de Douglas Costa.
Neymar já estava pronto para bater quando o árbitro de vídeo entrou em ação após toda a polêmica na partida contra a Suíça. E novamente a tecnologia jogou contra a Seleção. Ao rever o lance pela TV, o árbitro holandês Bjorn Kuipers considerou que o camisa 10, que exagerou ao abrir os braços ao ser tocado pelo costarriquenho quando dava o drible, cavou o pênalti.
Irritação geral, principalmente de Neymar, que recebeu cartão amarelo por reclamação e ficou nervoso. Chegou até a discutir e xingar um adversário. Apesar de tudo, acabou que o camisa 10 brasileiro saiu chorando de campo, mas de felicidade. Só que antes, foi muito sofrimento.
Pressionada pelo empate na estreia, a Seleção começou num ritmo muito lento. Com exceção de um chute de Coutinho, para fora, os primeiros 20 minutos foram tudo o que a Costa Rica queria. Com uma linha de cinco jogadores na defesa e mais quatro de apoio, os costarriquenhos se fecharam na entrada da área em busca do contra-ataque, criando a melhor chance do primeiro tempo. Após boa jogada na linha de fundo de Venegas, Borges apareceu sozinho para chutar, mas pegou mal na bola.
Sem criatividade para furar a forte marcação, o Brasil só começou a acelerar o ritmo de jogo após 20 minutos e, então, passou a dominar as ações, sem conseguir entrar na área adversária. Praticamente todos os chutes foram de longe e sem perigo. Tanto que a primeira finalização no gol de Navas foi aos 40, com Marcelo, sem trabalho para o goleiro. Gabriel Jesus chegou a marcar, aos 25, mas estava impedido. Neymar desperdiçou a melhor chance brasileira, ao ser lançado dentro da área e errar no domínio, o que facilitou a saída de Navas.
Também pesou para o Brasil a má atuação de quase todos os jogadores ofensivos, ainda abusando de jogadas pela esquerda. Willian seguiu muito isolado pela direita e errou bastante (Fagner, que substituiu o machucado Danilo até apareceu, mas produziu pouco).
Para dar mais agressividade ao ataque, Tite sacou Willian e colocou Douglas Costa. A mudança fez efeito imediato e o Brasil começou o segunto tempo de maneira bem diferente. Em apenas quatro minutos Gabriel Jesus cabeceou no travessão e, no rebote, Paulinho fez boa jogada e Coutinho só não marcou porque a bola bateu no zagueiro. A partir daí Navas passou a aparecer. Primeiro em grande defesa no chute de Neymar, depois em finalizações de Coutinho e duas de Casemiro.
O Brasil jogava muito melhor e conseguia trocar passes e encontrar espaços. E, principalmente, não jogou apenas pela esquerda. Com Douglas Costa bem, o lado direito brasileiro cresceu. A Costa Rica só pensava em se defender e não deu um chute. O único susto que a Seleção teve foi numa bola cruzada que os jogadores costarriquenhos não conseguiram finalizar.
Com o passar do tempo, a partida ganhou contornos dramáticos, ainda mais com o pênalti anulado. Satisfeita com o empate sem gols, a Costa Rica passou a fazer cera, com jogadores caindo a todo instante para deixar o tempo passar. No desespero, o Brasil foi pressionando, errando nas finalizações, e somente aos 46 minutos abriu o placar: Firmino, que entrou no lugar de Paulinho, escorou de cabeça, Gabriel Jesus não dominou e Coutinho apareceu para chutar de bico. Na comemoração, Tite chegou a cair enquanto corria.
Gol do alívio, que deixou o Brasil mais leve e ainda deu tempo de Douglas Costa receber na área e cruzar para Neymar chutar de primeira e fazer o segundo gol, que confirmou a vitória, a primeira na Copa da Rússia, aos 52.
O Brasil volta a jogar na próxima quarta-feira contra a Sérvia. A partida acontece às 15 horas. Mesmo dia e hora de Suíçax Costa Rica.

FICHA TÉCNICA
Local: Estádio de São Petersburgo (Rússia)
BRASIL: Alisson, Fagner, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro, Paulinho (Firmino), Willian (Douglas Costa), Philippe Coutinho e Neymar; Gabriel Jesus (Fernandinho). Técnico: Tite
COSTA RICA: Navas, Gamboa (Calvo), Óscar Duarte, Giancarlo González, Acosta e Oviedo; Celso Borges, Guzmán (Tejeda), Bryan Ruíz e Venegas; Ureña (Bolaños). Técnico: Óscar Ramírez
Árbitro: Bjorn Kuipers (Holanda)
Cartões amarelos: Neymar e Coutinho (Brasil); Acosta (Costa Rica)
Público: 64.468 torcedores
Gols: Philippe Coutinho, aos 46, e Neymar, aos 51 minutos do segundo tempo
NM com O Dia 

Nenhum comentário:

Postar um comentário