Image Map
Image Map
Image Map

sexta-feira, 22 de setembro de 2017

Vereadores derrubam veto e venda de bebida está liberada no Rei Pelé


Após intensa discussão, os vereadores da Câmara de Maceió derrubaram, na sessão ordinária desta quinta-feira (21), o veto à comercialização de bebidas alcoólicas nas arenas esportivas da capital, principalmente no estádio Rei Pelé. A decisão acontece a quatro dias da partida que pode garantir o acesso do CSA à Série B do Campeonato Brasileiro. Com a derrubada do veto, os eventos esportivos passam a ter a possibilidade de comercialização de bebidas. O Ministério Público Estadual (MPE) é contra e acredita que o consumo pode resultar em brigas, confusão e até em mortes. 
O projeto que estava em discussão é de autoria do vereador Silvânio Barbosa (PMDB), mas após aprovação da proposta por maioria da Casa, o prefeito Rui Palmeira vetou a matéria alegando que dispositivos legais proibiam a venda, bem como poderiam incentivar a ocorrência de casos de violência no estádio. Barbosa disse então que ia trabalhar para que os colegas vereadores derrubassem o veto.
Durante a discussão do veto na tarde desta quinta-feira, o líder do governo na Câmara, vereador Eduardo Canuto (PSDB), liberou a bancada para a votação. Informações apontam que a liberação se deu porque a prefeitura previa uma derrota na análise da proposta. 
"As pessoas precisam ter maturidade para o consumo. Atualmente, já existe uma nova conduta de beber e não dirigir. As autoridades estão aí para combater os eventuais excessos. Não esquecendo que a liberação também vai gerar emprego e renda para a população", expôs a vereadora Silvânia Barbosa, esposa do presidente do CRB. 
Ainda durante a discussão, o vereador Samyr Malta (PSDC) defendeu que a discussão seja realizada sem hipocrisia, porque a venda de bebidas alcoólicas no estádio não vai criar "cachaceiros". "Até em avião a comercialização é feita e há lugar mais perigoso para alguém consumir álcool?", questionou. O vereador Lobão (PSB) defendeu seu voto sim pela derrubada de veto argumentando que, caso não dê certo, a liberação pode ser cassada. 
CONTRAPONTO
O vereador Ronaldo Luiz votou contra, citando as pessoas que são viciadas em bebidas. "O vício da bebida é algo preocupante na sociedade e que como um profissional da saúde tenho o dever de votar para manter o veto", destacou.
AÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE
Por meio de nota, o Ministério Público Estadual (MPE) informou, na noite desta quinta-feira (21), que, tão logo a decisão seja publicada no Diário Oficial, o procurador-geral de justiça, Alfredo Gaspar de Mendonça Neto, deverá entrar com uma ação direta de inconstitucionalidade. 
 "A instituição continuará tendo posicionamento contrário a liberação da venda de álcool nos locais onde estiverem sendo disputados campeonatos oficiais", destacou o documento.
NM com Gazetaweb.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PARCEIROS NA MIRA

PARCEIROS NA MIRA