Image Map
Image Map
Image Map
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui

segunda-feira, 27 de março de 2017

Projeto social da CBF levou crianças a conhecer o universo da arbitragem no futebol


"Posso ser árbitro?". O peculiar pedido da criança na atividade com bola retrata o sucesso do lançamento do "Apitinho de Ouro". Ação inédita no Brasil, o projeto incluído no CBF Social em São Paulo não só disseminou o trabalho da arbitragem como despertou o interesses dos 70 meninos, de 7 a 14 anos, que participaram das atividades, nesta segunda-feira (27), na Escola de Futebol da Aclimação. 

Idealizador do "Apitinho de Ouro", José Roberto Wright, ex-árbitro e membro da Comissão Independente de Arbitragem, conduziu o encontro com o árbitro da FIFA Raphael Claus e Márcio Verri Brandão, assistente da ENAF. De forma lúdica e simplicidade, os três profissionais transmitiram conhecimentos básicos sobre a arbitragem no futebol.

– Sempre fui uma pessoa dedicada à arbitragem e sentia uma necessidade de renovação. Não necessariamente, da criança virar um árbitro de futebol, mas de aprender, ter gosto, como jogam uma pelada de futebol. O essencial é que eles aprenderam e gostaram. O lançamento do Apitinho de Ouro foi ótimo. Muito bem organizado. O CBF Social é um sucesso absoluto e o Apitinho é uma soma nesse sucesso já existente – analisou Wright. (foto o lado)

Representante de São Paulo no quadro da FIFA, Raphael Claus se mostrou entusiasmado ao final da experiência. Surpreso com o nível de conhecimento e interesse dos participantes, o árbitro elogiou a primeira edição do Apitinho de Ouro.

– É muito gratificante. Estou muito feliz de ver o conhecimento de alguns garotos. O Apitinho de ouro é um projeto fantástico da CBF e com certeza vamos conhecer frutos disso. Isso tudo é fantástico. O futebol me deu tudo na vida. O que eu puder dar de retorno para o futebol, ficarei muito feliz – afirmou Raphael Claus.

Ao fim da manhã, além da experiência única adquirida, cada um dos participantes recebeu um apito e cartões de presente.

NM com Ricardo Stuckert/CBF

Nenhum comentário:

Postar um comentário