Image Map
Image Map
Image Map

segunda-feira, 27 de março de 2017

Em novo clássico sem torcida, CRB e CSA ficam no empate sem gols pelo Alagoano

foto: Ailton Cruz
Pela Copa do Nordeste, competição da qual já foram eliminados, CSA e CRB contabilizaram uma vitória para cada lado. Já neste domingo, pelo Estadual, os maiores rivais do futebol alagoano voltaram a empatar - e desta vez sem gols - no esvaziado Rei Pelé, numa partida em que a emoção se resumiu a alguns poucos lances do segundo tempo. 
O duelo foi válido pela última rodada da fase classificatória, e o CRB, primeiro colocado no grupo A, encerrou esta etapa com 19 pontos. O CSA foi mais além, atingindo os 24 pontos, mas ficou em segundo lugar no grupo B por ter menos vitórias que o ASA. Agora, ambos avançam para o hexagonal, juntamente com ASA, Santa Rita, CEO e Murici.

Meia Daniel Costa cobra falta e quase marca para o CSA
FOTO: AILTON CRUZ/GAZETA DE ALAGOAS




























Como foi
O CRB adotou uma postura mais ofensiva na maior parte do tempo, mas o CSA chegou a balançar a rede por meio do atacante Jacó. Porém, o gol foi anulado, equivocadamente, pela arbitragem.
E se o Galo esteve mais perto da área adversária, foi o CSA quem proporcionou a primeira grande chance do jogo, logo aos 2 minutos, quando Jacó recebeu passe de Luís Soares, livrou-se do goleiro Juliano, mas finalizou para a linha de fundo, sem ninguém a apertá-lo.

CRB 0x0 CSA
Clássico das multidões termina empatado no Rei Pelé
Mesmo com mais posse de bola, o CRB teve poucas chances. Uma delas veio aos 10 minutos, quando o atacante Mailson passou por dois marcadores e chutou para o goleiro Mota, com a mão direita, espalmar para escanteia. Outra boa chance surgiu aos 34 minutos, quando o lateral-esquerdo Diego bateu falta da direita e a bola, ao ganhar altura, acertou o travessão azulino.
O CSA voltou duplamente modificado no 2º tempo, sendo que uma das substituições foi "forçada", já que o zagueiro Douglas, no último lance do primeiro tempo, machucou o ombro direito em disputa de bola pelo alto.

Pelo CSA, Everton Heleno voltou a ter atuação destacada
FOTO: AILTON CRUZ/GAZETA DE ALAGOAS



























Mas a equipe de Oliveira Canindé seguiu optando por explorar os contragolpes. A estratégia teria dado dado certo se não fosse um impedimento mal marcado, aos 24 minutos. Jacó foi lançado em profundidade, avançou na mesma linha da defesa regatiana e, desta vez, venceu o goleiro Juliano, mas a arbitragem invalidou o lance.
Como o CSA optou por se retrair, o CRB decidiu acelerar o passo nos minutos finais, construindo ao menos menos duas grandes oportunidades de pular à frente no placar.
Aos 31 minutos, o lateral-direito Marcos Martins invadiu a área do CSA e só não balançou a rede porque Mota cortou com a perna direita, em defesa de pagar ingresso. Já aos 44, o goleiro voltou a salvar o Azulão, desta vez em dois momentos, com Clebinho e Danilo Pires, que pegou rebote e soltou um foguete, mas viu Mota espalmar no reflexo.
Um minuto depois, o CRB quase criou outra situação de gol, mas o zagueiro Leandro Souza impediu o avanço do atacante Neto Baiano - que voltou a substituir o atacante Elias no segundo tempo - ao cometer falta e receber cartão amarelo.

Mota dá soco na bola e afasta o perigo da área azulina 
FOTO: AILTON CRUZ/GAZETA DE ALAGOAS

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PARCEIROS NA MIRA

PARCEIROS NA MIRA