Image Map
Image Map
Image Map

quinta-feira, 30 de março de 2017

Com gols de Heleno e Cleyton, CSA vence o CEO por 2x0 no Rei Pelé

O CSA estreou no hexagonal do Campeonato Alagoano, na noite desta quarta-feira, no Estádio Rei Pelé, com importante vitória. Contra o CEO, o placar de 2x0 não mostrou o que foi o jogo, apesar de o time do Mutange ter dominado as ações. É que, apesar do resultado justo, o Azulão não fez uma partida de encher os olhos. Longe disso, cedeu muito espaço para o time sertanejo, que desperdiçou muitas chances no primeiro tempo, esbarrando no goleiro Mota.
Os gols da partida foram marcados pelo volante Everton Heleno e pelo meia Cleyton. Agora, o time comandado pelo técnico Oliveira Canindé já começa a voltar as atenções para o clássico do próximo domingo, contra o ASA, no Estádio Coaracy da Mata Fonseca, em Arapiraca.
Para este compromisso, o treinador azulino não poderá contar com três atletas: o zagueiro Douglas Marques, o lateral Celsinho e o atacante Jacó - todos receberam o terceiro cartão amarelo e terão de cumprir suspensão automática. Em compensação, terá o retorno do lateral Rayro, que esteve ausente também devido à suspensão.
E ainda nesta noite, pelo quadrangular da permanência - que vai definir os dois rebaixados para a Segunda Divisão em 2018 -, o CSE ficou no empate em 1x1 com o Coruripe, no Juca Sampaio, em Palmeira dos Índios. Agora, os times dividem a segunda posição, já que o líder é o Sete de Setembro, que, à tarde, venceu o Miguelense, em Arapiraca, por 2x1.
Pelo hexagonal, a 1ª rodada terá sequência nesta quinta-feira, com as partidas Santa Rita x ASA, em Boca da Mata, e CRB x Murici, no Trapichão.
Placar engana
O CSA entrou em campo com três mudanças em relação à equipe que iniciou a última partida, contra o CRB. Sem Rayro, o time do Mutange entrou em campo com Rafinha pela esquerda. Já por opção do técnico azulino, Thiago Potiguar tomou a vaga de Soares, enquanto Cleyton substituiu Marcos Antônio no setor de meio-campo.
E quando a bola rolou, o Azulão abriu o placar logo aos 11 minutos, quando Thiago Potiguar recebeu pela direita e deixou Everton Heleno na cara do gol. O volante chutou forte, cruzado. Diogo ainda tocou a redonda, mas não conseguiu evitar o gol: 1x0.
Com a vantagem mínima, o time da casa começou a dar espaço à equipe sertaneja, que chegou com perigo aos 21 minutos. Marcos Bahia foi lançado em velocidade pela direita, nas costas de Rafinha, e chutou rasteiro, na saída de Mota, que fez grande defesa com os pés.
O CEO ainda teve mais duas boas chances de igualar a disputa, mas o goleiro salvou em ambas as oportunidades. Como quem não faz, leva, o Azulão ampliou já aos 39, quando o lateral Celsinho foi lançado por Daniel Costa e cruzou da direita. Potiguar dominou e deu voltando para Cleyton, que chutou no canto esquerdo do goleiro Diogo, que nem se mexeu: 2x0.
Mas antes de o árbitro Júlio César Farias encerrar a primeira etapa, o CEO voltou a assustar, aos 41. O lateral Jefinho recebeu livre pela direita e cruzou para William, que chutou rasteiro, de primeira. A bola desviou em Douglas Marques e passou raspando o poste direito de Mota.
Administrando a vantagem
Para o segundo tempo, Canindé resolveu trocar Jacó pelo também atacante Soares. E o CSA criou boa chance logo aos 11 minutos. Daniel recebeu pela direita e girou o jogo para Potiguar, que cruzou para Soares. O atacante chutou de primeira, mas na rede pelo lado de fora.
Na sequência, aos 25, foi a vez de Potiguar sair para a entrada do também atacante Vanger. O CEO ainda criou grande oportunidade, em jogada do reserva André, mas o time sertanejo cansou. E com um CSA desinteressado nos minutos finais - Alex Henrique ainda substituiu Daniel Costa -, o jogo caiu de produção.
Tanto que o time da casa criou apenas mais uma chance clara de gol, aos 34, quando Soares recebeu pela direita, fintou o zagueiro e cruzou para Heleno, que cabeceou de peixinho, mas Diogo fez grande defesa no canto esquerdo e salvou o Canarinho.
Cambaleado, o CEO ficou com apenas nove atletas, já que dois deles - incluindo o goleiro - deixaram o campo após se sentirem mal. Como Alyson Dantas já havia processado as três alterações a que tinha direito, teve de improvisar no gol, contando com um pouco de sorte e evitando o que seria uma goleada nos minutos finais da partida, que só terminou aos 53.
NM com Bruno Soriano
Fotos: Ailton Cruz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SEJA SOLIDÁRIO