Image Map
Image Map
Image Map

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Em duelo com portões fechados, CSA e CRB ficam no empate em 1x1


primeiro clássico do ano entre CSA e CRB pelo Campeonato Alagoano acabou empatado em 1 a 1, na tarde deste domingo (19), no Estádio Rei Pelé. Os gols da partida foram marcados pelo zagueiro Flávio Boa Ventura, aos 44 minutos do primeiro tempo, e pelo meia Cleyton, que deixou tudo igual aos 11 minutos da etapa final. A partida foi válida pela 6ª rodada da competição.
Com o resultado, o Galo foi a 11 pontos e na liderança isolada do grupo A. Já o CSA perdeu a liderança na chave B, apesar de seguir invicto na competição. Com 14 pontos, acabou ultrapassado pelo ASA, que também venceu nesta tarde e foi a 15.
Agora, a equipe maruja volta a campo, pelo Estadual, no próximo sábado (25), para encarar o Sete de Setembro, às 16h, ainda sem local definido. O CRB, por sua vez, já terá novo compromisso nesta quarta-feira (22), quando vai encarar o Miguelense, às 20h30, no Estádio Coaracy da Mata Fonseca, em Arapiraca. 
Clássico sem torcida: CSA 1x1 CRB
Confira os melhores momentos do jogão no Rei Pelé, pela 6ª rodada do Alagoano 2017
O jogo
Os líderes entraram em campo diante de completo silêncio, protagonizando o primeiro clássico das multidões da história sem torcida. A situação inédita causou estranheza entre jogadores, dirigentes e imprensa.
Partida acabou empatada em 1 a 1, na tarde deste domingo (19)
FOTO: AILTON CRUZ/ GAZETA DE ALAGOAS































Quando a bola rolou, o torcedor viu, pela TV Gazeta, times modificados. Pelo CSA, o técnico Oliveira Canindé optou por Marcos Antônio no meio-campo, mantendo Jacó como homem de referência no ataque. Sem o volante Panda, lesionado, havia a expectativa de que o atacante Luis Soares, ainda em recuperação, fosse relacionado, o que não ocorreu.
Pelo CRB, o técnico Léo Condé teve três baixas: o lateral Marcos Martins e os meio-campistas Danilo Pires e Yuri. Eduardo Ratinho, Chico e Jorginho, respectivamente, iniciaram o duelo, com o Galo a tomar a iniciativa. Logo aos seis minutos, Ratinho cobrou falta da entrada área e viu a bola passar muito perto do poste esquerdo de Jeferson, assustando o goleiro azulino.
Partida foi válida pela 6ª rodada do Campeonato Alagoano
FOTO: AILTON CRUZ/ GAZETA DE ALAGOAS































Após os 10 minutos, a equipe azulina conseguiu se encontrar, chegando ao gol da equipe alvirrubra. Aos 16, o atacante Jacó fintou o zagueiro Boa Ventura, chutando forte e obrigando o goleiro Juliano a fazer uma boa defesa.
O jogo seguiu equilibrado, até que, aos 44 minutos, o Galo abriu o marcador. Diego cruzou na área e o zagueiro Gabriel subiu para colocar a bola na trave. No rebote, Boa Ventura só teve o trabalho de escorar a redonda e balançar a rede. 
2º tempo
Na volta do intervalo, Canindé colocou o meia Daniel Costa no lugar do volante Dawhan, mostrando que o time iria para cima, em busca do gol de empate. Porém, ainda sem ritmo, Daniel voltou a fazer uma atuação discreta. 
Já aos 10, Thiago Potiguar avançou pela esquerda e fez o cruzamento. Juliano se atrapalhou e a bola sobrou para o meia Cleyton, que, com um carrinho na pequena área, tocou para o gol vazio, deixando tuto igual no Trapichão: 1x1. 
Goleiro Juliano, do CRB, sai no soco para afastar a bola da área
FOTO: AILTON CRUZ/ GAZETA DE ALAGOAS































Na sequência, Canindé sacou o autor do passe para o gol azulino, Thiago Potiguar, para a entrada de Didira.  A partida seguiu bastante acirrada, com o CSA um pouco melhor.
Já o CRB buscava sair nos contra-ataques, priorizando a jogada aérea, com Neto Baiano a desperdiçar algumas oportunidades. Na mais clara delas, aos 18 minutos, o camisa 9 recebeu sozinho na área, mas não soube aproveitar a chance e mandou a bola por cima do gol.
Aos 24, o CSA processou sua última substituição, com Alex Henrique entrando no lugar de Cleyton para tentar dar um novo gás ao ataque marujo. Pelo lado regatiano, Léo Condé só realizou a primeira alteração aos 27 minutos, quando trocou Chico pelo também meia Clebinho. Depois disso, o jogo continuou bastante movimentado e com chances para ambos os lados.
Pouco depois, Condé fez mais uma substituição, com a entrada de João Paulo Penha no lugar de Sérgio Mota, que não repetiu a atuação do último clássico.
E aos 40 minutos, o comandante regatiano fez a sua última alteração, colocando Elias no lugar de Neto Baiano. Depois disso, as equipes pouco criaram, pois, os times já se mostravam satisfeitos com o empate, com o árbitro encerrando a partida quatro minutos além do tempo regulamentar.
NM com Marcio Chagas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PARCEIROS NA MIRA

PARCEIROS NA MIRA