Image Map
Image Map
Image Map
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Em duelo com portões fechados, CSA e CRB ficam no empate em 1x1


primeiro clássico do ano entre CSA e CRB pelo Campeonato Alagoano acabou empatado em 1 a 1, na tarde deste domingo (19), no Estádio Rei Pelé. Os gols da partida foram marcados pelo zagueiro Flávio Boa Ventura, aos 44 minutos do primeiro tempo, e pelo meia Cleyton, que deixou tudo igual aos 11 minutos da etapa final. A partida foi válida pela 6ª rodada da competição.
Com o resultado, o Galo foi a 11 pontos e na liderança isolada do grupo A. Já o CSA perdeu a liderança na chave B, apesar de seguir invicto na competição. Com 14 pontos, acabou ultrapassado pelo ASA, que também venceu nesta tarde e foi a 15.
Agora, a equipe maruja volta a campo, pelo Estadual, no próximo sábado (25), para encarar o Sete de Setembro, às 16h, ainda sem local definido. O CRB, por sua vez, já terá novo compromisso nesta quarta-feira (22), quando vai encarar o Miguelense, às 20h30, no Estádio Coaracy da Mata Fonseca, em Arapiraca. 
Clássico sem torcida: CSA 1x1 CRB
Confira os melhores momentos do jogão no Rei Pelé, pela 6ª rodada do Alagoano 2017
O jogo
Os líderes entraram em campo diante de completo silêncio, protagonizando o primeiro clássico das multidões da história sem torcida. A situação inédita causou estranheza entre jogadores, dirigentes e imprensa.
Partida acabou empatada em 1 a 1, na tarde deste domingo (19)
FOTO: AILTON CRUZ/ GAZETA DE ALAGOAS































Quando a bola rolou, o torcedor viu, pela TV Gazeta, times modificados. Pelo CSA, o técnico Oliveira Canindé optou por Marcos Antônio no meio-campo, mantendo Jacó como homem de referência no ataque. Sem o volante Panda, lesionado, havia a expectativa de que o atacante Luis Soares, ainda em recuperação, fosse relacionado, o que não ocorreu.
Pelo CRB, o técnico Léo Condé teve três baixas: o lateral Marcos Martins e os meio-campistas Danilo Pires e Yuri. Eduardo Ratinho, Chico e Jorginho, respectivamente, iniciaram o duelo, com o Galo a tomar a iniciativa. Logo aos seis minutos, Ratinho cobrou falta da entrada área e viu a bola passar muito perto do poste esquerdo de Jeferson, assustando o goleiro azulino.
Partida foi válida pela 6ª rodada do Campeonato Alagoano
FOTO: AILTON CRUZ/ GAZETA DE ALAGOAS































Após os 10 minutos, a equipe azulina conseguiu se encontrar, chegando ao gol da equipe alvirrubra. Aos 16, o atacante Jacó fintou o zagueiro Boa Ventura, chutando forte e obrigando o goleiro Juliano a fazer uma boa defesa.
O jogo seguiu equilibrado, até que, aos 44 minutos, o Galo abriu o marcador. Diego cruzou na área e o zagueiro Gabriel subiu para colocar a bola na trave. No rebote, Boa Ventura só teve o trabalho de escorar a redonda e balançar a rede. 
2º tempo
Na volta do intervalo, Canindé colocou o meia Daniel Costa no lugar do volante Dawhan, mostrando que o time iria para cima, em busca do gol de empate. Porém, ainda sem ritmo, Daniel voltou a fazer uma atuação discreta. 
Já aos 10, Thiago Potiguar avançou pela esquerda e fez o cruzamento. Juliano se atrapalhou e a bola sobrou para o meia Cleyton, que, com um carrinho na pequena área, tocou para o gol vazio, deixando tuto igual no Trapichão: 1x1. 
Goleiro Juliano, do CRB, sai no soco para afastar a bola da área
FOTO: AILTON CRUZ/ GAZETA DE ALAGOAS































Na sequência, Canindé sacou o autor do passe para o gol azulino, Thiago Potiguar, para a entrada de Didira.  A partida seguiu bastante acirrada, com o CSA um pouco melhor.
Já o CRB buscava sair nos contra-ataques, priorizando a jogada aérea, com Neto Baiano a desperdiçar algumas oportunidades. Na mais clara delas, aos 18 minutos, o camisa 9 recebeu sozinho na área, mas não soube aproveitar a chance e mandou a bola por cima do gol.
Aos 24, o CSA processou sua última substituição, com Alex Henrique entrando no lugar de Cleyton para tentar dar um novo gás ao ataque marujo. Pelo lado regatiano, Léo Condé só realizou a primeira alteração aos 27 minutos, quando trocou Chico pelo também meia Clebinho. Depois disso, o jogo continuou bastante movimentado e com chances para ambos os lados.
Pouco depois, Condé fez mais uma substituição, com a entrada de João Paulo Penha no lugar de Sérgio Mota, que não repetiu a atuação do último clássico.
E aos 40 minutos, o comandante regatiano fez a sua última alteração, colocando Elias no lugar de Neto Baiano. Depois disso, as equipes pouco criaram, pois, os times já se mostravam satisfeitos com o empate, com o árbitro encerrando a partida quatro minutos além do tempo regulamentar.
NM com Marcio Chagas

Nenhum comentário:

Postar um comentário