Image Map
Image Map
Image Map
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui
Texto da legenda da imagem aqui

sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Oliveira Canindé resume missão do CSA na final: "O jogo das nossas vidas"

Á medida em que o tempo passa, aumenta a ansiedade do técnico Oliveira Canindé para colocar o CSA em campo na grande final da Série D do Campeonato Brasileiro. A pouco mais de um dia para iniciar a decisão que pode garantir o primeiro título nacional da história do clube do Mutange, o treinador sabe que não basta apenas a técnica para sair do Estádio Raulino de Oliveira com a taça de campeão. Disposição, entrega e força de vontade são elementos essenciais para o sucesso diante do Volta Redonda.
Na última entrevista concedida em Alagoas antes da viagem para o interior fluminense, o  técnico comentou o resultado desejado que não veio na partida em Maceió, e apontou o que não pode faltar dos atletas na partida desse sábado, a partir das 21h.
- Eu falei para o grupo depois que terminamos o jogo que, se era para ser um resultado que não uma vitória nossa, o melhor seria o que aconteceu. Então, a confiança é a mesma, a responsabilidade é a mesma, só mudou o campo, o adversário é o mesmo, mas a confiança não mudou. Então nós acreditamos muito e vamos fazer o jogo das nossas vidas nesse jogo contra o Volta Redonda.
Oliveira Canindé, técnico do CSA (Foto: Augusto Oliveira / GloboEsporte.com)Canindé esbanja confiança no time do CSA para voltar com o título da Série D (Foto: Augusto Oliveira / GloboEsporte.com)
Canindé sabe e destacou que não será fácil bater o Volta Redonda na casa do adversário. Porém, ele afirmou que a equipe azulina jamais deve temer o Voltaço, que ainda não perdeu na competição nacional, e sim se preocupar consigo mesmo.
Então nós acreditamos muito e vamos fazer o jogo das nossas vidas nesse jogo contra o Volta Redonda." 
Oliveira Canindé
- Nós temos uma equipe equilibrada, nós chegamos porque demonstramos isso dentro da competição, mas nós também vamos enfrentar um adversário equilibrado e esse adversário ainda não perdeu. Então, vamos medir forças dentro do espaço que eles são fortes, mas nós não receamos e não tememos o adversário. Respeitamos, mas agora é fazermos o nosso. Independentemente de quem comece ou de quem termine o jogo, tem sempre que corresponder. Quando você não corresponde, os teus próprios companheiros começam a desacreditar da tua condição. É esse que vai nos ajudar? Você olha pra você, olha para o adversário e vê o que você tem do seu lado e o que o adversário tem. O que é que você tem para superar o adversário? Então, o que você tiver de melhor, você tem que utilizar. Então nós procuramos de todas as maneiras não errarmos quanto às escolhas, e esperamos escolhermos o melhor possível para representar o nosso torcedor e fazer o melhor que ele espera de todos nós. Fazendo isso, independentemente de quem jogue, eu tenho certeza que corresponderemos - garantiu.
Oliveira Canindé ainda comentou os desfalques para finalíssima, mas deixou claro a confiança e a capacidade que todos os atletas do Azulão possuem.
- Tem alguns atletas que não têm como porque foi além do que nós esperávamos, como é o caso do Rayro. A baixa é significativa porque o atleta vinha bem, estava num momento bom, mas você tem o Rafinha que estava como titular até o Rayro entrar e tomar conta da posição. Tranquilo porque a gente acredita na força do grupo e se é um grupo quem entra precisa corresponder, e eu espero que entre na posição faça o seu melhor e nos ajude. 
CSA x Volta Redonda, Rei Pelé (Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas)CSA x Volta Redonda ficaram no 0 x 0 na primeira partida da final da Série D (Foto: Ailton Cruz / Gazeta de Alagoas)

Podendo contar com o lateral-direito Denílson, após cumprir suspensão automática na primeira partida da final, o técnico do CSA comemorou o retorno de mais uma peça no esquema, podendo utilizar o Kelvin em outra posição. No entanto, Canindé não abre o jogo quanto à escalação que vai a campo.
O que nós precisamos fazer é entrega, disposição e coragem para enfrentarmos o adversário sem ter medo ou titubearmos quanto aquilo que nós queremos. Nós queremos? Então vai lá e faça! Você tem condição, tem coragem? Então vá lá e encare! Faça a sua parte." 
Oliveira Canindé, técnico do CSA
- Me deixa confiante eu ter um grupo e saber que eu possa contar com um atleta ou outro sabendo que ele corresponderá. Então, não é certeza o Kelvin jogar, a certeza é que nós vamos pegar um adversário forte e precisamos ter o máximo de responsabilidade possível, sabendo que vamos representar uma grande torcida e que nós não podemos falhar. O que nós precisamos fazer é entrega, disposição e coragem para enfrentarmos o adversário sem ter medo ou titubearmos quanto aquilo que nós queremos. Nós queremos? Então, vai lá e faça! Você tem condição, tem coragem? Então vá lá e encare! Faça a sua parte. É o que nós esperamos do grupo e o nosso torcedor espera de todos nós. Se é assim, nós vamos encarar, vamos fazer o nosso melhor e tentar de todas as maneiras fazer com que o resultado seja o melhor possível em cima do que nós pretendemos.
CSA e Volta Redonda se enfrentam na grande final da Série D no Estádio Raulino de Oliveira a partir das 21h desse sábado. Como o primeiro jogo terminou empatado sem gols, um novo empate por 0 a 0 leva a decisão para os pênaltis. Em caso de empate com gols, o título fica com o Azulão. Quem vencer, levanta a taça de campeão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário