Image Map
Image Map
Image Map

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Rafaela Silva tem dia de popstar após a medalha de ouro na Olimpíada

O jogo virou. Alvo de críticas e comentários racistas e preconceituosos após a traumática eliminação na Olimpíada de Londres, em 2012, Rafaela Silva acordou de seu sonho dourado com mais de 100 mil seguidores no Instagram. Na véspera de sua estreia, na categoria até 57kg, a judoca contava com cerca de 10 mil. Focada, a carioca abriu mão das redes sociais durante a sua preparação. Ao ser acordada aos gritos pelos animados colegas da equipe de judô, na Vila Olímpica, ela decidiu conferir a repercussão da primeira medalha de ouro brasileira nos Jogos do Rio. Familiares, amigos e até ídolos massagearam o ego da campeã, que um dia foi vítima de bullying nas redes sociais.

“Dormi pouco. Cheguei às 4h na Vila e acordei às 8h. O que me chamou a atenção é que tinha 10 mil seguidores no Instagram e agora tenho mais 90 mil (até o início da manhã de ontem). Recebi apoio de Neymar, Marta, Daniel Alves, Ludmilla... Está sendo um dia bem diferente. Sempre quis chegar perto dessas pessoas e elas agora estão me citando. É especial”, disse Rafaela Silva.
Rafaela Silva conquistou a primeira medalha de ouro do Brasil na Rio-2016
Foto: Efe





























Se antes suas postagens rendiam pouco mais de mil curtidas, Rafaela agora é o centro das atenções. Depois de se afastar das redes sociais e manter a disciplina na alimentação, a judoca, que continua multiplicando seguidores, pôde finalmente deixar a dieta de lado e saborear um hambúrguer e um brigadeiro.
Em sua trajetória nos tatames até o lugar mais alto do pódio no Rio, Rafaela teve como referência Mayra Aguiar, que compete amanhã, na categoria até 78kg. “Eu me inspirei na Mayra, por ser tão jovem, e ontem saí com a informação de que sou quem tem mais títulos, juntando todas as competições. Daqui a pouco, meu ídolo, a Mayra, pode ser campeã também”, contou Rafaela, que já havia sentido o gostinho de festejar um título em casa, em 2013, quando foi campeã mundial no Maracanãzinho.
A judoca também não escondeu a ansiedade para compartilhar a medalha de ouro com vizinhos e amigos na Cidade de Deus. E, aos 24 anos, avisou que não pensa em descanso. A disputa do bicampeonato olímpico em Tóquio-2020 é a nova meta.
“Sou bem jovem. Quero sentir novamente a sensação que tive no dia da conquista. Estou muito feliz e quero dar mais alegria para o povo brasileiro. Pretendo continuar firme e buscar a vaga para os Jogos de 2020, em Tóquio”, acrescentou Rafaela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PARCEIROS NA MIRA

PARCEIROS NA MIRA