Image Map
Image Map
Image Map

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Ícone paraolímpico, Daniel Dias ensaia fazer política em causa da acessibilidade a deficientes

  • Nadador Daniel Dias entra no tema da acessibilidade ao falar de Bragança Paulista
    Nadador Daniel Dias entra no tema da acessibilidade ao falar de Bragança Paulista
Após dominar as piscinas de Londres na última edição da Paraolimpíada, que acabou neste mês, o brasileiro Daniel Dias se volta para um desafio que a princípio pode parecer mais simples, mas que requer um outro tipo de esforço. O maior destaque individual dos Jogos de Londres se volta agora à cidade em que vive, em ensaio de engajamento político pela causa da acessibilidade para deficientes.

VISITA AO CORINTHIANS

Daniel Dias visitou o Centro de Treinamento do Corinthians na última terça-feira. Tratado como o "Michael Phelps paraolímpico", o nadador conquistou em Londres ouros nas seguintes provas:
- 50 m livre - S5
- 200 m livre - S5
- 100 m peito - SB4
- 50 m costas - S5
- 50 m borboleta - S5
- 100 m livre - S5
S5: Afetação de tronco e duas ou mais extremidades
Sb4: Afetação de tronco e afetação grave de duas ou mais extremidades (provas nado peito)
Com seis ouros no peito na volta ao Brasil e o novo status de maior medalhista paraolímpico do país, Daniel acompanha com distância calculada as eleições municipais de Bragança Paulista, no interior de São Paulo. Na condição de celebridade local, o nadador não deseja se envolver com candidatos, mas pretende ser ouvido pelo futuro prefeito a respeito de possíveis melhorias na condição de vida e cidadania para deficientes físicos, que hoje, em sua opinião, são insatisfatórias.
"Eu ando porque tenho a minha prótese, consigo me virar. Mas não é uma cidade preparada. O centro da cidade tem postes no meio da calçada. Então é difícil um cadeirante andar por lá. É algo que eu tenho brigado e batalhado para que as pessoas se conscientizem a mudar isso", afirmou o campeão paraolímpico em entrevista ao UOL Esporte.
"Para ouvir, não [procuram], mas para pedir voto, sem dúvida. Eu acho que seria uma oportunidade boa para eles [candidatos a prefeito] virem conversar comigo, realmente pensando nisso. Espero que quem ganhe venha conversar comigo para que a gente possa fazer o melhor para a cidade. Posso dizer que estou à disposição para que a gente possa ser uma cidade exemplo", acrescentou.
Daniel Dias nasceu com má formação congênita dos membros superiores e da perna direita. O brasileiro descobriu a natação apenas aos 16 anos, mas conseguiu um desenvolvimento técnico veloz. Hoje, após duas aparições na Paraolimpíada, acumula 15 medalhas: dez de ouro, quatro de prata e uma de bronze.  
Em Bragança Paulista, a menos de 100 km de São Paulo, Daniel tem se tornado uma espécie de referência para deficientes da região, animados com o que vislumbram ser uma oportunidade de inclusão através do esporte. Diante desta demanda, a prefeitura local prepara uma piscina adaptada, em complexo de treinamento que levará o nome do atleta [segundo a prefeitura, a inauguração acontece nas próximas semanas].
"A própria piscina onde eu treino não era [adaptada]. Hoje fizeram um acesso, então os cadeirantes conseguem entrar. A gente estava tendo uma procura muito grande. E agora vai inaugurar uma nova piscina lá, toda adaptada, o cadeirante vai descer até a água com a cadeira. A gente conseguiu esse projeto, bacana que vai ter o meu nome. Piscina Daniel Dias, pública, da cidade, de 25 metros. A gente está conseguindo, através do esporte, ter essa inclusão. Mas infelizmente o lugar onde eu moro não está preparado", descreve o atleta de 24 anos.
CAMPEÃO USA PROJETO DE DILMA PARA MANTER EQUIPE DE 6 PESSOAS
Anunciado na última semana, o plano de medalhas do governo federal visando o ciclo dos Jogos de 2016 deve contemplar Daniel Dias com recursos capazes de manter sua equipe de trabalho. O maior medalhista paraolímpico do país conta com seis pessoas e agora espera poder remunerar adequadamente os profissionais.

A CAMINHO DO ALTAR

Daniel Dias entra para o time dos casados em 16 de novembro, quando consumará a união com a noiva Raquel Andrade. O casal vai comemorar com viagem para Paris e Veneza. O campeão diz que, sem precisar nadar, enfim pode bancar o turista. "Vai ser bom porque agora eu posso conhecer. Quando viajo em competição não tem a menor chance", afirma.
De acordo com o projeto anunciado pela presidente Dilma Rousseff, os atletas de ponta do universo olímpico e paraolímpico terão um auxílio de R$ 15 mil por mês, com outros R$ 10 mil para remuneração do treinador, além de quantia para ajuda multidisciplinar (fisioterapia, nutricionista, etc.) e custos de viagem.
Além do técnico Marcos Rojo Prado, Daniel Dias conta com dois preparadores físicos (musculação e pilates), um médico, um nutricionista e um fisioterapeuta. Hoje o atleta se dedica exclusivamente ao esporte, mas almeja voltar a cursar Educação Física, faculdade que trancou após dois semestres cursados.
O próximo compromisso esportivo de Daniel Dias é o Mundial do Canadá em 2013. "Agora o Mundial acontece a cada dois anos, antes esse ano [pós-Paraolimpíada] era chamado de "ano morto", não tinha nada. Em janeiro começo a treinar pensando no evento", diz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PARCEIROS NA MIRA

PARCEIROS NA MIRA