Image Map
Image Map
Image Map

sexta-feira, 15 de julho de 2016

Comedido, Mazola Júnior tira peso da goleada do CRB: "Jogo duríssimo"

O CRB conseguiu mais uma vitória com propriedade, na noite desta quinta-feira, jogando pela Série B do Campeonato Brasileiro. Diante do Tupi-MG, no Estádio Rei Pelé, o Galo foi superior, criou as melhores chances, abriu o placar, viu o goleiro Júlio César pegar um pênalti e chegou à quarta vitória seguida na Segundona. Mas para quem pensa que o resultado foi fácil, se engana. É o que afirma o técnico Mazola Júnior.
- Jogo duro do campeonato, nas situações em que as equipes estão. Eu tinha alertado que a gente não olhasse para a tabela classificativa porque o campeonato é traiçoeiro, é complicado e as coisas se confirmaram dentro de campo. Jogo duríssimo, tivemos ali a competência do Júlio César para fazer a defesa no pênalti qua talvez o jogo ali seria outro. Se eles fazem o gol ali, o jogo seria outro. Mas penso que no jogo todo o CRB foi melhor. Pecamos um pouco ainda por algum preciosismo nas zonas do campo que não devem ser feitos, mas penso que criamos muitas chances de gol e poderíamos ter um resultado ainda mais elástico. Se eu não me engano, umas duas ou três chances ali na segunda parte e o lance do pênalti [para os mineiros]. No resto o Tupi, praticamente, não criou nada. Nós criamos bastante e penso que ficou até um pênalti para ser marcado a nosso favor - resumiu o treinador alvirrubro.
Mazola Júnior, técnico do CRB (Foto: Denison Roma / GloboEsporte.com)Mazola Júnior assegurou que Série B é um campeonato muito traiçoeiro (Foto: Denison Roma / GloboEsporte.com)

Mazola também fez uma avaliação da partida contra o Náutico, no final de semana passado, e apontou algumas falhas da equipe regatiana nesta quinta-feira.
- Sem dúvida alguma, o jogo que eu mais gostei do CRB, pelo complexo e pela qualidade do adversário, foi diante do Náutico. Acho que ali atingimos um nível de jogo, de equipe e de competitividade muito grande. Hoje, volto a dizer: tivemos algumas dificuldades, o nosso time tem apresentado alguma dificuldade quando não tem espaço, mas penso que na somatória do jogo, o CRB foi merecedor do resultado - afirmou.
Eu tinha alertado que a gente não olhasse para a tabela classificativa porque o campeonato é traiçoeiro, é complicado e as coisas se confirmaram dentro de campo. Jogo duríssimo, tivemos ali a competência do Júlio César para fazer a defesa no pênalti qua talvez o jogo ali seria outro." 
Mazola Júnior, técnico do CRB
Faltando três rodadas para o fim dos jogos de ida, a humildade toma conta do ambiente regatiano. Apesar da excelente fase, Mazola Júnior manteve o discurso de que ainda tem muito a trabalhar na sequência da competição. Ele já previu dificuldade no próximo compromisso, contra o Paysandu em Belém.
- Faltam três rodadas para acontecer [o fim dos jogos de ida], depois tem a parada por conta da Olimpíada e as coisas vão mudar muito ainda. Há muito chão pela estrada, não vamos ficar projetando final de turno e depois tem um momento chave no campeonato que são os 20 dias na parada da Olimpíada. Mas estamos muito satisfeitos, estamos na primeira parte da tabela, até acima do que a gente estava pensando para esse momento e vamos aproveitar esse tempo agora, teremos praticamente 10 dias para preparar para esse jogo em Belém, uma viagem terrível, um jogo duríssimo e vamos jogo a jogo estudando, trabalhando e vamos tocando o nosso barquinho pra frente - disse.
Zé Carlos, atacante do CRB (Foto: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas)Zé Carlos abriu o placar na vitória diante do Tupi pela 16ª rodada da Segundona (Foto: Ailton Cruz/Gazeta de Alagoas)
Veja outros trechos da entrevista de Mazola Júnior:
A goleada do Paysandu sobre o CRB em 2015
- Verdade, mas a gente também tem que pensar que até os 25 minutos do segundo tempo o CRB mandou no jogo lá em Belém e o Paysandu estava num momento totalmente diferente do que está hoje [atualmente o Papão ocupa a 13ª posição na tabela da Segundona]. Conheço bem lá a casa, sei do investimento que eles fizeram, a comissão técnica que está lá agora, e não vamos achar que será um jogo fácil. Vamos encarar com muita seriedade para que a gente possa trazer um grande resultado. 
A diferença da linha de três do ano passado para a atual equipe do Galo
- Peças, qualidade do jogador. Infelizmente, no ano passado a gente pegou o barco andando, estava na sétima rodada quando aqui cheguei, demorou um pouco para os jogadores chegarem, infelizmente alguns não se adaptaram. Esse ano as coisas foram totalmente diferente. A gente já tinha feito um monitoramento desde o ano passado, tivemos um início de trabalho em janeiro, aí a gente detectou posição por posição, angariando alguns jogadores que interessavam; enfim, é um trabalho totalmente diferente. Não pode ser em nenhum momento comparado ao ano passado. Ano passado, a gente fez e tentou de tudo o que foi jeito pra tentar extrair o melhor potencial dos jogadores que aqui estavam. A gente não tinha transição rápida como tem hoje, então é normal que a gente possa evoluir nesse aspecto e o CRB hoje tem essa linha de três como mais qualidade. Os jogadores estão mais adaptados, a volta do Gerson [Magrão] foi muito importante, a adaptação do Matheus [Galdezani] foi muito boa, o próprio Welinton [Júnior], o surgimento do Luidy; enfim, são características totalmente diferentes dessa linha. Era uma transição muito lenta no ano passado, mas que marcava melhor do que essa.  
NM co Globoesporte.com/al

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PARCEIROS NA MIRA

PARCEIROS NA MIRA