Image Map
Image Map
Image Map

sexta-feira, 6 de maio de 2016

Tocha olímpica cruza fronteira de Goiás e chega a Minas por Araguari

A tocha olímpica cruzou a fronteira dos estados de Goiás e Minas Gerais no quinto dia de revezamento. Após quatro dias em chão goiano, a tocha olímpica se despediu do estado neste sábado. As três últimas cidades do estado em que o fogo olímpico visitou foram Pires do Rio, Ipameri e Goiandira. Depois de deixar a região Centro-Oeste do Brasil, a tocha iniciou a passagem pela região Sudeste. A primeira cidade de Minas Gerais a receber o símbolo Olípico foi Araguari, no Triângulo Mineiro, onde chegou por volta das 17h. A última cidade do quinto dia de percusso da tocha olímpica foi Uberlândia onde passa a noite deste sábado para domingo.
O revezamento da tocha olímpica começou na última terça-feira, em Brasília. Em Goiás, o símbolo maior dos Jogos Olímpicos de 2016 passou pelas mãos de 448 condutores nas 15 cidades que compõem o trajeto. Ao todo, 1,3 mil quilômetros devem ser percorridos no estado. Depois de entrar em Minas Gerais, a tocha passou por Araguari, passa a noite em Uberlândia e no domingo segue para Uberaba. Em seguida, fará o trajeto por Araxá, Patrocínio e Patos de Minas, onde passará a noite.
DESPEDIDA DE GOIÁS
A tocha deixou Caldas Novas, onde havia passado a noite, e seguiu para Pires do Rio, o primeiro local a ser visitado neste sábado. O símbolo dos Jogos transitou próximo à prefeitura e em outros pontos importantes da cidade. Por volta das 10h, a chama foi em direção a Ipameri. Um dos lugares visitados foi a Praça da Liberdade. A banda da Polícia Militar se apresentou no local e muitas crianças prestigiaram a passagem do comboio. O ponto final em Ipameri foi na tradicional Igreja Matriz.
Condutor repassa a chama olímpica em Pires do Rio, Goiás (Foto: Fernando Vasconcelos/ GloboEsporte.com)Condutor repassa a chama olímpica em Pires do Rio, Goiás (Foto: Fernando Vasconcelos/ GloboEsporte.com)
Em Goiandira, última cidade a receber a tocha olímpica em solo goiano, a concentração começou na Praça do Relógio. Uma banda forma por jovens estudantes aguardava a chegada da chama. André, portador de Síndrome de Down, foi um dos condutores. Ele foi ovacionado durante seu trajeto de 200m. Porém, coube ao senhor Heleno Jesus da Silva, de 83 anos, a tarefa de conduzir o símbolo na reta final.
TOCHA, UAI
Ao som de fanfarras e com a boa presença do público, a tocha olímpica passou a divisa entre Goiás e Minas Gerais e deu início ao trajeto em Araguari em frente ao Palácio dos Ferroviários, antiga Estação da Estrada de Ferro Goiás. A professora Maria Guedes foi a primeira condutora da região Sudeste. Ela afirmou que. Maria Cristina é diretora de uma escola da rede estadual e conduziu a tocha com mais três alunos da escola. Eles foram escolhidos depois de venceram o concurso de redação da escola.
- Carregar a Tocha é homenagear todos os meus alunos e funcionários da minha escola. Saber que eu e meus alunos somos os primeiros a conduzir a Tocha na região Sudeste É uma felicidade que não sei descrever - afirmou.
O repórter da TV Globo, Renato Peters, natural da cidade mineira, também foi um dos condutores da tocha olímpica pelas ruas de Araguari (veja vídeo abaixo)


DESFECHO EM UBERLÂNDIA
Palco de grandes jogos na cidade do interior de Minas Gerais, o Sabiazinho recebeu o acendimento da tocha da cidade de Uberlândia sob olhos do público da cidade que compareceu em bom número no local e do hino nacional. Após a apresentação da equipe de halterofilismo, Karolina Cordeiro e Pedro, filho dela, abriram o percurso da tocha na cidade. O dentista Goiano que se fantasiou de tocha durante a passagem dela por Goiás, Lúcio Monteiro também conduziu a tocha, desta vez, sem a fantasia.
Tocha Olímpica, acesa, Sabiazinho, Uberlândia (Foto: Brasil 2016)Tocha Olímpica é acesa no Sabiazinho em Uberlândia (Foto: Brasil 2016)

Em um lote particular em frente ao Teatro Municipal de Uberlândia, último lugar onde a tocha passaria, um boneco do ex-presidente Lula foi inflado em forma de protesto. O último condutor da tocha olímpica foi Luciano Dantos, um dos para-atletas participantes do vídeo institucional na web que promove os Jogos Paralímpicos desde o ano passado. Natural de Uberlândia, ele teve o privilégio de encerrar o trajeto na cidade mineira.
- Não esperava ser o último a carregar a Tocha Olímpica em Uberlândia e ainda acender a pira. Considero esta emoção como um presente, pois toda essa alegria aconteceu no mês do meu aniversário - afirmou Montanha.
Montanha, revezamento, tocha, Uberlândia (Foto: Pedro Veríssimo)Montanha encerra revezamento da tocha em Uberlândia (Foto: Pedro Veríssimo)
NM com  Bárbara Almeida

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PARCEIROS NA MIRA

PARCEIROS NA MIRA