Image Map
Image Map
Image Map

quinta-feira, 5 de maio de 2016

CSA tenta retomar ímpeto defensivo e reverter vantagem do CRB na final

A segurança no sistema defensivo é uma das marcas do CSA neste Campeonato Alagoano. Mas, é exatamente neste setor que o técnico Oliveira Canindé precisa realizar os maiores ajustes se quiser reverter a vantagem do CRB e conquistar o título. Dono da melhor defesa, o Azulão tem tido problemas, seja por lesões ou técnicos, para segurar o ímpeto ofensivo dos rivais nas fases finais do estadual. Resultado, dos 12 gols sofridos na competição cinco foram nos últimos três confrontos. O retorno do volante Panda anima a comissão técnica, mas a ausência do lateral-esquerdo Rafinha pode ser um contratempo. 
Oliveira Canindé, técnico do CSA (Foto: Leonardo Freire/GloboEsporte.com)Com Panda e sem Rafinha, Canindé terá que ajustar defesa do CSA (Foto: Leonardo Freire/GloboEsporte.com)
O desempenho no início da competição empolgou o torcedor. Técnico do Azulão, Oliveira Canindé bancou uma formação tática e obteve sucesso. O clube marujo somou o melhor ataque e defesa da primeira fase. Foram 27 gols marcados e três sofridos em dez jogos. Dentro dessas dez partidas, foram sete sem o time ser vazado. Uma marca expressiva que passa pelo desempenho dos onze principais jogadores do CSA. No hexagonal, apesar de ser vazado em quatro oportunidades o clube seguiu firme e conseguiu fechar a fase na primeira posição.
Nas fases finais, o elenco sentiu o desgaste do alto nível de futebol desempenhado durante a competição, principalmente o sistema defensivo. As lesões de jogadores como a do zagueiro Douglas e do volante Panda entram em consideração por eles fazerem parte de um grupo de atletas que formam a base da equipe do técnico Oliveira Canindé, e, por curiosidade, a queda de rendimento da defesa se deu no período onde esses atletas estavam tendo problemas físicos. Nas semifinais diante do Murici, por exemplo, onde a equipe foi vazada três vezes em dois jogos, os jogadores citados não participaram da partida. 
Desta vez, a ausência será do lateral-esquerdo Rafinha. Suspenso pelo terceiro cartão amarelo, o jogador está fora da finalíssima. As opções de Canindé são: colocar Bruno Santa Rosa no setor e manter Panda ao lado de Jean Cléber no meio-campo; ou trazer Panda para a lateral, manter Didira como segundo volante e escalar Bismarck ou Cleyton entre a linha de armadores (veja as possibilidades nos campinhos abaixo). Há possibilidades, mas o treinador irá analisar no que as modificações podem afetar nos sistemas do Azulão. 
campinho CSA (Foto: Arte/GloboEsporte.com)Provável escalação do CSA com Santa Rosa na esquerda e Panda no meio-campo (Foto: Arte/GloboEsporte.com)

Duas enfiadas de bola da equipe do CRB foram necessárias para furar o bloqueio defensivo do CSA no primeiro duelo da final. O resultado de 2 a 0 não mostrou, necessariamente, um domínio alvirrubro na partida, mas as jogadas de transição do Galo desmontaram o setor defensivo azulino. Sem Panda, a formação tática perdeu força no setor intermediário do campo e abriu brechas para os contra-ataques do Regatas pelas laterais. Foi a segunda derrota do Azulão por dois gols de diferença no campeonato. A primeira foi na quarta rodada do hexagonal diante do Santa Rita, quando Canindé pôs um time alternativo em campo e poupou os principais jogadores para o clássico que viria a seguir.
Provável escalação do CSA com Panda escalado na lateral-esquerda (Foto: Arte/GloboEsporte.com)Provável escalação do CSA com Panda escalado na lateral-esquerda (Foto: Arte/GloboEsporte.com)

O volante Panda possivelmente estará em condições de jogar no segundo jogo da decisão do Campeonato Alagoano. Recuperado de lesão no adutor da coxa, o jogador tem feito trabalhos de fortalecimento físico e é questão de tempo até poder trabalhar com bola e reforça a equipe. Com seu retorno, Oliveira Canindé terá a possibilidade de pôr em campo os principais atletas que fizeram parte da melhor campanha na primeira fase do estadual. Apenas Rafinha será o desfalque. O treinador deve realizar os últimos ajustes para ter uma estrutura defensiva capaz de segurar as investidas do CRB e um sistema de ataque que possa bater, por mais de duas vezes, os defensores regatianos.
NM com Jota Rufino

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PARCEIROS NA MIRA

PARCEIROS NA MIRA