Image Map
Image Map
Image Map

sábado, 28 de maio de 2016

Canindé diz que CSA precisa de mais reforços: "Estamos correndo atrás"

O CSA tem pouco mais de duas semanas para estrear na Série D do Campeonato Brasileiro. Com saídas e chegadas, o técnico Oliveira Canindé falou do setor que está tendo mais dificuldade para montar o time titular.
- Do meio para frente. Estão aparecendo problemas em todos os setores. Não contávamos com algumas desistências de atletas, por isso estou tento um pouco mais de dificuldade do meio para frente. Um exemplo é o João Paulo Penha, que achávamos que não teríamos problemas ali, e de repente apareceu. Veio também o problema do Didira, que não esperávamos e aconteceu. Essas coisas nos surpreenderam um pouco, mas estamos procurando o mais rápido possível uma definição para esses setores.
Perguntado se estava satisfeito com elenco e se tinha grupo para conseguir uma classificação na Série D, Canindé foi claro e declarou que o clube está no mercado procurando mais reforços.
- Não tenho e também não estou satisfeito, ainda, com o que temos. Estamos correndo atrás, quero mais reforços. Preciso, como falei antes, de jogares mais cascudos, que estejam acostumados com o tipo de jogo que vamos encontrar, com campos difíceis, que nem todos são compatíveis com o que temos em qualidade no grupo e com o nosso. O Estádio Rei Pelé é uma arena, tem um campo de jogo excelente, e em poucos lugares vamos encontrar um assim. Tem o de Caruaru, que também é muito bom. Precisamos de jogadores que se adequem ou tenham o costume de trabalhar em qualquer tipo de gramado. Se dá para jogar, nós vamos. Não deu, vamos ter de ir para o pau do mesmo jeito. É desse tipo de jogador que preciso. Para esse tipo de competição, nós precisamos de mais alguns nomes, a direção tem consciência disso. Não tem ninguém descansado.
Jônatas Obina, atacante do CSA (Foto: Augusto Oliveira/GloboEsporte.com)Jônatas Obina será titular no jogo-treino deste sábado contra o Miguelense (Foto: Augusto Oliveira/GloboEsporte.com)








No Campeonato Alagoano, o atacante Rafael Oliveira marcou quatro gols e conviveu com muitas lesões. Para seu lugar, Jônatas Obina foi contratado. Ao ser questionado se é o nove que desejava desde o início do ano, Canindé disse estar esperançoso que sim.
- Espero que seja. Não adianta eu falar antes e, de repente, não ser. É um jogador que escolhi, pedi para que viesse. É rodada, com passagens por times grandes. Então, você sempre espera o máximo. Uma coisa sei, disposição ele tem, e muita. E é brigador. Espero que todos dando contribuição dentro de campo, a gente possa contribuir para que ele seja um dos referenciais do grupo.
A média de idade dos 16 reforços é 25 anos. Com tantos jovens, Canindé contou que a capacidade é o fundamental, e não tem escolha por idade.
- Quero que tenha capacidade para representar bem. As pessoas que confiam em você não podem se decepcionar. Quando jogava, os rivais reclamavam que eu batia muito. É assim, os caras confiavam em mim, e se confiavam, vou usar as armas que tenho, e não vou decepcionar quem confia em mim. É da mesma maneira como treinador. A torcida espera o máximo do grupo, confiam em todos, nós não temos o direito de decepcionar. Ou você dá o que tem ou diz o porquê de estar aqui. Contribui ou sai para outro venha e dê sua contribuição. Eu quero vencer, tenho meus sonhos, quero crescer, para isso, é necessário entrega, disposição, coragem, imposição. Para isso, eu preciso ter atletas que pensam assim ou parecido.
NM com Augusto Oliveira

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PARCEIROS NA MIRA

PARCEIROS NA MIRA