Image Map
Image Map
Image Map

quinta-feira, 3 de março de 2016

Ministério Público cobra de clubes de Alagoas fiscalização nos ingressos

A ação de cambistas em jogos do Campeonato Alagoano foi pauta na sede do Ministério Público Estadual de Alagoas. Na manhã desta quinta-feira, a promotora de Justiça do Juizado do torcedor Sandra Malta, e o promotor de Justiça do Consumidor Max Martins se juntaram aos representantes do CSA, Federação Alagoana de Futebol e Polícias Civil e Militar para definir um Termo de Ajuste de Conduta (TAC). O objetivo é impedir a comercialização de ingressos por meio de terceiros nos jogos dos principais clubes de Maceió. O CRB não participou da reunião, assim, o TAC será encaminhado ao departamento jurídico do clube.
Reunião em Alagoas (Foto: Jota Rufino/GloboEsporte.com)Reunião no Ministério Público pediu mais fiscalização na distribuição dos ingressos (Foto: Jota Rufino/GloboEsporte.com)

Os clubes precisam seguir uma série de determinações para evitar a prática do cambismo. Eles se comprometem a identificar os ingressos referentes às meias entradas, cortesias e sócios-torcedores, manter o controle da numeração dos lotes e ter o controle da distribuição de retorno dos bilhetes. O não cumprimento das normas decididas será passível de multas por cada cláusula não cumprida.
- (O cambismo) Não só lesa o torcedor, mas principalmente os clubes. Quando estive em uma reunião preparatória para no CPC, foi informado por um dos representantes do CRB que os preços dos ingressos eram comercializados pelos cambistas por um preço menor ao que está estampado no ingresso. Isso é estranho. Por isso me prontifiquei a fazer essa reunião e fechar o Termo (TAC) porque precisamos saber como eles estão chegando aos cambistas. Se há esse controle efetivo, se os ingressos são numerados, se esses lotes são destinados, se há controle nessas vendas. Outra preocupação é se os ingressos vendidos por 50% recebem os carimbos de meia entrada, pois tomei conhecimento de que não são. A partir de agora eles têm que ser confeccionadas com essa sinalização - afirmou a promotora Sandra Malta.
A preocupação da promotoria é com o clássico marcado para o dia 13 de março, envolvendo CRB e CSA. À reunião, o Azulão enviou dois representantes, o vice-financeiro Marcos Túlio e Edílson Bezerra, assistente financeiro, porém ninguém relacionado ao Galo estava presente. O acordo será encaminhado para que possam tomar todas as medidas necessárias, principalmente porque o clube regatiano iniciou a venda dos ingressos para o Clássico das Multidões.
Reunião em Alagoas (Foto: Jota Rufino/GloboEsporte.com)Reunião contou com representantes do MP, CSA, FAF e polícias Civil e Militar (Foto: Jota Rufino/GloboEsporte.com)
- O TAC será encaminhado ao CRB, pois já que eles não vieram de forma injustificável, apesar de serem sido devidamente notificados, para que observem o que foi decidido na audiência e realmente cumpram o que foi decidido. Pois o objetivo disso é combater o crime contra a ordem econômica e que os consumidores tenham o direito de um ingresso devidamente identificados e coibir essa pratica do cambismo - disse o promotor  Max Martins.
As cláusulas informadas no TAC, além de tentar barrar a comercialização de ingressos por parte dos cambistas, têm o objetivo de evitar uma prática comum no futebol alagoano. Geralmente, os valores dos bilhetes são comercializados em um único preço - metade do estampado no ingresso - para seus devidos setores. Além de evitar a venda exagerada de muitas entradas para um único torcedor. A medida deve entrar em vigor antes do confronto entre CRB e CSA.
- A Polícia Militar e Civil irão começar a atuar e ver (se há irregularidades). Se for constatado podem ter problemas - declarou o promotor Max Martins.
NM com Jota Rufino

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PARCEIROS NA MIRA

PARCEIROS NA MIRA