Image Map
Image Map
Image Map

sábado, 16 de janeiro de 2016

Técnico do CSA, Oliveira Canindé não descarta contratações até o Alagoano

Oliveira Canindé, técnico do CSA (Foto: Leonardo Freire/GloboEsporte.com)Oliveira Canindé, técnico do CSA (Foto: Leonardo Freire/GloboEsporte.com)
Técnico do CSA, Oliveira Canindé ainda não fechou o elenco para o estadual. Com 33 jogadores, o treinador disse nesta sexta estar gostando das peças que tem, mas avisou que ainda pode recorrer ao mercado. 
- Já tiramos algumas peças porque não podemos inchar mais o grupo. O que queremos é qualidade, então não dá pra dizer que está fechado. Momentaneamente está, mas não se pode fechar portas para bons valores e para atletas que podem fazer a diferença. Se for para trazer peças, traremos com responsabilidade e se tivermos as respostas que queremos com o atual grupo, ele estará fechado. Se não, é claro que buscaremos valores que poderão nos ajudar na briga pelo título e pelo calendário - pontuou.
Bismarck, meia do CSA (Foto: Leonardo Freire/GloboEsporte.com)Bismarck foi o último reforço anunciado (Foto: Leonardo Freire/GloboEsporte.com)
O último reforço foi indicado especialmente pelo treinador azulino. Meia-armador, Bismarck tem a confiança de Canindé, tanto que será escalado entre os titulares no amistoso deste domingo, diante do Treze, às 16h, no Estádio Rei Pelé.
- Ele [Bismarck] já vinha de uma pré-temporada e se apresentou em totais condições de jogar. Talvez esse seja o primeiro amistoso que ele vá fazer. Ele está muito motivado e empolgado, gosta do grupo, se entrosou fácil e esperamos que ela possa mostrar as qualidades que tem. É um jogador que por onde passou foi campeão. Espero que ele possa dar as respostas que assim como eu a torcida espera dele - declarou.

Confira outros trechos da entrevista coletiva:
Condição da equipe para o amistoso contra o Treze?
- Acredito que a equipe está em um momento bom, bem condicionada. Acho que nesse jogo [diante do Treze] podemos deixar o time [titular] mais tempo em campo, procurando mexer o menos  possível para que a gente possa, verdadeiramente, mostrar a cara do CSA.
Qual a possibilidade de ter três armadores (Bismarck, Cleyton e Didira) diante de Treze?
- Totais condições de começar com essa equipe. Houve uma dificuldade no primeiro amistoso quando eu não tinha um lateral, mas no último eu pude ir nesse caminho [ter três armadores]. É uma situação que temos trabalhado bastante e independentemente de quem jogue, eles estão acostumados a fazer essas funções. Bismarck já fez essa função comigo, se eu quiser ele como meia de armação, ele vai fazer, se for aberto, ele faz. Então com ele e com Cleyton eu não terei dificuldades de abrir e formar duas linhas. Busco o caminho que seja mais acessível sobre as características que eles têm.

Como observou o entrosamento entre Cleyton, Didira e Bismarck?
- É muito pouco tempo [para avaliar]. Na verdade, eu fiz uns trabalhos específicos até fortes, porque eram necessário. Eles tiveram apenas três treinos juntos, mas procurei intensificar um trabalho de aproximação para que eles troquem mais passes, fiquem mais juntos, conversem mais, cobrem mais um do outro. É fundamental para que o grupo se conheça e saiba o que é preciso fazer para sermos competitivos.
Haverá mudança na postura tática do time em relação ao último amistoso?
- Talvez nós tenhamos que mudar [a postura tática], pois na verdade eu estava trabalhando com duas formas de atuar. Chegando esses atletas com uma qualidade muito boa, e que já por conhecê-los e saber o quanto eles podem render nessas funções, eu optei por intensificar o trabalho sobre uma função só, sabendo que eles podem nos ajudar ainda mais. Se pudermos ter a condição de ser mais qualificados e ter uma equipe mais competitiva, com condição de representar o CSA, essa equipe mostrará jogando.

Como definiu que Bismarck seria o titular diante do Treze?
- Eu acredito que embora o Soares esteja em uma crescente, tecnicamente falando, é um jogador de muita qualidade e força, mas, mesmo assim, eu optei por testar o Bismarck em uma posição que ele já trabalhou comigo. Então, por isso, a escolha por ele, mas não é por deficiência do Soares. O Thiago também poderia fazer essa função, mas talvez ele não tenha condição de jogo, não sei em que pé se encontra a condição de jogo pra ele, mas, de toda maneira, temos uma equipe qualificada com condição de render o esperado.
NM com Jota Rufino

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PARCEIROS NA MIRA

PARCEIROS NA MIRA