Image Map
Image Map
Image Map

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Irreconhecível, CRB perde para o Ceará e se complica na tabela da Série B

Nem o mais desconfiado torcedor regatiano acreditava que o CRB pudesse tropeçar diante do vice-lanterna. Sob vaias já no intervalo do jogo desta sexta-feira (04), quando o Galo voltou a campo para mais um desafio pelo Campeonato Brasileiro, o time do técnico Mazola Júnior não foi páreo para o Ceará, time que mais perdeu na Série B. 


O Vozão fez o bastante para merecer a vitória, por 3x1, em pleno Rei Pelé, onde o time da casa simplesmente não se encontrou.

O Galo foi surpreendido logo com oito minutos de jogo, quando, na falha da zaga alvirrubra, Rafael Costa abriu o marcador, de cabeça. O CRB ainda acertou a trave em cabeceio de Gabriel, mas teve o atacante Ricardinho expulso já aos nove minutos do segundo tempo. 

O Ceará voltou a marcar aos 26’, com novo gol de Rafael Costa, enquanto o Galo diminuiu com Maxwell, aos 32’. Porém, em rápido contragolpe, o time alvinegro definiu o placar com gol do meio-campista Mazola, assinalado aos 36 minutos.

- Confira, abaixo, os gols do jogo:



Com o resultado, o CRB caiu uma posição na tabela, já que o Luverdense-MT bateu o Macaé, no Rio de Janeiro, e chegou a 31 pontos. Menos mal é que, também nesta sexta, o Oeste-SP não saiu de um empate sem gols diante do lanterna Mogi Mirim, no interior paulista. Com isso, o Galo passa a ocupar a 13ª colocação, ainda com 28 pontos.

O Ceará, por sua vez, chegou a 21 pontos e subiu uma posição na tabela. Agora, é 18º colocado, ultrapassando o ABC pelo número de vitórias.

E o Galo já se prepara para novo compromisso na próxima segunda-feira, quando, às 16h, vai encarar o Oeste, fora de casa, em duelo de seis pontos. Para o confronto, Mazola também não poderá contar com o meia Cañete, que tomou o terceiro cartão amarelo.

Já o Vozão vai receber, também na segunda, só que às 19h, time que ainda luta para figurar no G4, o Náutico Capibaribe.



À imprensa, o treinador regatiano lamentou o resultado, criticando a expulsão de Ricardinho, além da postura da torcida. “Foi uma noite para ser esquecida, sobretudo no aspecto individual. Hoje, se eu pudesse, processaria umas dez substituições. A expulsão [do atacante regatiano] foi inadmissível porque ele tomou um amarelo por reclamação. Foi um fator que desequilibrou tudo, mas vamos deixar as providências a cargo da direção, de quem não tenho nada a cobrar”, disse Mazola.

“Fiquei chateado com o comportamento da torcida no primeiro tempo. O torcedor tem o direito de vaiar, mas após o jogo. Não foi legal”, emendou o comandante alvirrubro.

Galo irreconhecível



A partida teve um início perturbador para o CRB, que entrou em campo com cinco desfalques. E a desatenção lhe custou a desvantagem no placar logo com oito minutos de jogo. Victor Luís cobrou escanteio da esquerda e o atacante Rafael Costa subiu mais alto que toda a defesa alvirrubra, cabeceando para baixo e acertando o ângulo superior direito do goleiro Júlio César. A bola, porém, era defensável: 1x0.

O Ceará, que parecia jogar em casa, seguiu dono da partida até os 30 minutos, criando mais três chances reais de gol. Numa das oportunidades, um minuto antes, o meia Júlio César fez boa jogada pela esquerda e cruzou no segundo pau, buscando Rafael Costa, mas a zaga regatiana afastou na hora 'h'.

O Galo até esboçou uma reação, mas, como não criava o bastante, permaneceu sem espaço para a conclusão em gol, esbarrando na marcação adversária, pois, insistia na ligação direta. A única chance do time da casa veio em lance de bola parada, já aos 41 minutos, quando o argentino Cañete foi para cobrança de escanteio e viu o zagueiro Gabriel acertar o travessão em belo cabeceio.



Um a menos e a confirmação da derrota

Para o segundo tempo, Mazola Júnior resolveu trocar o volante Somália pelo meia Clebinho. O Galo até melhorou, mas não o bastante, já que o Ceará quase marcou o segundo logo aos cinco minutos, com Júlio César fazendo grande defesa.

Para piorar a situação, Ricardinho, que já estava pendurado, deixou o ataque para fazer falta na entrada da área regatiana, aos oito minutos. O árbitro não titubeou, puxando o novo amarelo – no primeiro, foi punido por reclamação.

Com um homem a menos, o treinador regatiano colocou Danilo Bueno no lugar do também meia Cañete. Já aos 24’, foi a vez de o jovem Maxwell entrar no lugar de outro meia, Gérson Magrão. E a alteração surtiria efeito somente após novo gol alvinegro, já que o Ceará ampliou a vantagem pouco depois, aos 26 minutos.

No contragolpe, Mazola recebeu pela direita, fintou o primeiro e rolou para Rafael Costa, que dominou à frente do zagueiro e chutou bonito, no ângulo superior esquerdo de Júlio César, sem chance para o goleiro. Belo gol: 2x1.

Já aos 32’, quando o jogo já parecia definido, o Galo reagiu em cruzamento da direita com Daniel Cruz. O artilheiro do Estadual deixou o marcador na saudade e cruzou para Maxwell. O atacante saltou bonito para, de cabeça, acerta o canto esquerdo do goleiro Luís Carlos: 2x1.

Porém, como o Galo continuava a se descuidar na defesa, o Vozão ainda marcaria mais um para selar a vitória no Rei Pelé, já aos 35 minutos, quando Audálio falhou feio e deu de graça para o atacante Alex Amado, que chutou no canto esquerdo de Júlio César. A bola acertou a trave e voltou para Mazola, que só teve o trabalho de concluir para o gol vazio: 3x1.

NM com gazetaweb.com / Bruno Soriano

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PARCEIROS NA MIRA

PARCEIROS NA MIRA