Image Map
Image Map
Image Map

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

Árbitro relata ameaças e diz que vai processar Kalil após acusações

Árbitro responsável por comandar o jogo entre Atlético-MG e Atlético-PR, Marcelo de Lima Henrique disse ter sofrido ameaças em Belo Horizonte. Segundo o juiz, ele recebeu uma ligação quando ainda estava no estádio Independência sobre presença de torcedores em seu hotel.

"Após a partida no Independência recebemos uma ligação, por volta de 0h15, [falando] que na porta do nosso hotel tinha um grande grupo de torcedores aguardando a nossa chegada. Tivemos que acionar todo um aparato policial para nos escoltar do estádio ao hotel e uma outra viatura para limpar a área em frente ao hotel, para que pudéssemos entrar sem nenhum problema. Só conseguimos chegar ao hotel por volta de 2h45", disse à rádio Itatiaia.

"Eu prefiro não dar publicidade a isso agora porque eu vou ter que fazer um adendo [à súmula] e vou ter que colocar em documento. Na parte da tarde deve estar tudo anexado. Vamos fazer um adendo, pormenorizado, simplesmente com os fatos que ocorreram. Mas a gente chegou ao hotel sem problema porque tomamos as medidas que achamos necessária", completou.

Mais tarde, o árbitro deu entrevista à ESPN e disse que irá processar o ex-presidente Alexandre Kalil, que usou o Twitter para chama-lo de "vagabundo e ladrão".

"Eu irei na justiça até as últimas instâncias. Ele já depôs contra juiz, presidente de outro clube... Me sinto profundamente triste, futebol é lazer, temos que ser homens de bem acima de tudo. Saí muito triste de Minas Gerais e vamos procurar que a justiça seja feita", falou.

"A gente fica triste. Eu tenho várias partidas do Atlético-MG. Fiz três Atlético-MG x Cruzeiro, final da Copa do Brasil com o Atlético-MG... Tenho certeza que esse cidadão que você citou conhece meu perfil. Lamento muito que ele use sua força para ofender pessoas de bem. E ele sabe que sou pessoa de bem", complementou.
Kalil fala em tragédia e critica árbitro
Também me entrevista no programa Bate Bola, Alexandre Kalil, ex-presidente do Atlético-MG, alertou para o momento vivido pelo futebol, pois acha que os erros foram "caso pensado".
"Alguns árbitros estão sendo processados porque prejudicaram o Atlético-MG. E esse árbitro prejudicou o Atlético-MG. Profissionalizar eu sou a favor. Mas o futebol está passando por um momento perigoso, tiraram a grade, liberaram a bebida. E não melhoraram a arbitragem. Estamos perto de uma tragédia. Futebol é emoção. Ele não irritou só os jogadores. Ele quase faz uma tragédia. Temos que ter bom senso, sim, acho que foi de caso pensado, sim. Não por complô...isso não existe. É isso que eu queria colocar", disse.

O dirigente também comentou as ameaças que o árbitro diz ter sofrido depois da derrota do Atlético-MG. "Ele entrou completamente destemperado no jogo. Ele está colocando gente em risco de morte. Ainda deu uma entrevista para a Rádio Itatiaia falando que a PM levou ele em casa. Imagina se a PM de Minas tem que levar ele em casa. Não conheço essa regra. Ele está muito bonzinho, muito meigo. Ele só não tinha que colocar vidas em risco. Errar você pode errar para um lado ou outro. Só não pode colocar um estádio em ebulição", completou.
NM com Uolesportes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PARCEIROS NA MIRA

PARCEIROS NA MIRA