Image Map
Image Map
Image Map

quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Nos descontos, Leonardo Silva salva o Atlético-MG do pior na Copa do Brasil

O zagueiro Leonardo Silva salvou o Atlético-MG. O Figueirense vencia por 1 a 0, gol de Clayton, até os 47 minutos de etapa final, quando o capitão alvinegro marcou o gol de empate. Resultado que mantém a disputa aberta para o duelo da volta, em Florianópolis.
Atual campeão da Copa do Brasil, o Atlético precisa vencer para manter o sonho de conquistar o bicampeonato ou empatar por dois ou mais gols. Ao Figueirense resta empatar sem gols ou ganhar por qualquer placar, no Orlando Scarpelli, na próxima quarta-feira, às 19h30, para avançar às quartas de final.
Apesar do gol no final, a equipe de Levir Culpi aumentou a sequência de resultados ruins. Já são quatro jogos sem vencer, com duas derrotas, somadas as partidas de Brasileiro e Copa do Brasil. 
FICHA TÉCNICA
ATLÉTICO-MG 1 X 1 FIGUEIRENSE
Data: 19/08/2015 (quarta-feira)
Horário: 19h30 (de Brasília)
Motivo: Oitavas de final da Copa do Brasil – ida
Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)
Público: 16.123 pagantes
Renda: R$ 389.000,00
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (PR)
Assistentes: Alessandro A Rocha de Matos (BA/FIFA) e Ivan Carlos Bohn (PR)
Cartões amarelos: Leandro Donizete e Marcos Rocha (CAM) Rafael Bastos, Dener e Yago (FIG)
Gols: Clayton aos 48 min do primeiro tempo; Leonardo Silva aos 47 do 2º
ATLÉTICO-MG
Victor; Marcos Rocha (Carlos César, aos 32 do 2º), Leonardo Silva, Jemerson e Douglas Santos; Rafael Carioca, Leandro Donizete (Guilherme, no intervalo), Dátolo, Luan e Giovanni Augusto; Lucas Pratto.
Técnico: Levir Culpi
FIGUEIRENSE
Alex Muralha; Leandro Silva, Saimon, Bruno Alves e Marquinhos Pedroso; Dener, Fabinho, João Vitor e Rafael Bastos (Yago, aos 16 do 2º); Clayton (Thiago Santana, aos 22 do 2º) e Dudu (Jefferson, aos 37 do 2º).
Técnico: Hudson Coutinho.
NM com Uolesportes.com.


FASES DO JOGO

  • 1º TempoO Atlético-MG começou melhor jogo, pressionando e empurrando o Figueirense para o campo de defesa. O goleiro Alex Muralha se transformou no destaque no primeiro tempo, com pelo menos três boas defesas, em tentativas de Giovanni Augusto e Leonardo Silva. Mas quem abriu o placar foi o Figueirense, com Clayton, aos 48 minutos, em jogada idêntica feita por ele aos 26 minutos. Contra-ataque nas costas de Marcos Rocha e finalização cruzada. Na primeira tentativa Victor fez grande defesa. Mas a segunda passou e ainda bateu na trave antes de entrar.
  • 2º TempoSe no primeiro tempo o Atlético teve o controle do jogo e acabou castigado nos minutos finais, a segunda etapa foi de uma equipe desorganizada e perdida em campo. Logo no primeiro lance o Figueirense quase ampliou, com Rafael Bastos. E as chances de gol para o time catarinense eram mais reais e Victor teve de trabalhar mais do que Alex Muralha. E o gol atleticano saiu na base do abafa, da pressão.

DESTAQUES

  • Visita ilustreTécnico da seleção brasileira sub-,20, Rogério Micale esteve no Independência para acompanhar o confronto entre Atlético e Figueirense. O treinador trabalhou na base dos dois clubes. Inclusive foi campeão da Copa São Paulo no comando da equipe catarinense.
  • Que faseJá são quatro jogos sem vitórias do Atlético. Dos duelos como visitante, uma derrota e um empate. Em casa, tropeçou contra o Grêmio, no Mineirão, e empatou com o Figueirense, nesta quarta, no Independência.

MELHORES

  • Clayton, FigueirenseO atacante foi o responsável pelas principais jogadas de ataque da equipe catarinense e ainda marcou o primeiro gol. Não fosse uma boa defesa de Victor, teria deixado o Independência com dois gols. A substituição aos 22 minutos da etapa final foi um alívio para a defesa do Atlético.

PIORES

  • Marcos Rocha, Atlético-MGProtagonista do Atlético e perto de completar 200 partidas pelo clube, o lateral direito não vive uma boa fase. Desde que retornou ao time, recuperado de uma lesão na panturrilha, ainda não conseguiu jogar no melhor nível. Diante do Figueirense foi mais atuação desastrosa.
  • Dátolo, Atlético-MGDefinitivamente o argentino não vive um 2015 feliz em campo. O líder de assistências do Atlético em 2014 e um dos responsáveis pela conquista da Copa do Brasil do ano passado deixou o gramado com mais críticas do que elogios. Outra atuação para se esquecer

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PARCEIROS NA MIRA

PARCEIROS NA MIRA