Image Map
Image Map
Image Map

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Anderson Daronco, Clovis Amaral e Thiago Duarte Peixoto são os melhores árbitros do 1º turno do Campeonato Brasileiro


RIO DE JANEIRO - No último final de semana chegou ao fim o 1º turno do Campeonato Brasileiro. Das 19 rodadas disputadas até aqui, três profissionais de ponta se destacaram positivamente ao longo do torneio. Embora exista uma insatisfação de muitos clubes em relação ao comando da Comissão de Árbitros da CBF, a categoria soube passar por cima disso e, com equilíbrio, chega à metade da competição procurando trabalhar em alto nível.
O melhor árbitro do 1º turno do Brasileirão foi o gaúcho Anderson Daronco. Não há nenhum registro de reclamações nas 15 partidas em que ele trabalhou até aqui. Com prestígio na CBF, o FIFA dos pampas não só justificou a sua promoção ao quadro internacional, como também encheu de orgulho Luiz Fernando Gomes, chefe de sua comissão e um dos maiores incentivadores de sua carreira.
Morador de Santa Maria no interior do Rio Grande do Sul, Daronco é casado e pai de dois filhos. Sabedor de que faz-se necessário manter-se próximo das jogadas para ter um melhor entendimento em suas interpretações, o seu treinamento físico é pesado. Por conta desse motivo ele nunca foi reprovado em uma avaliação física desde que surgiu entre os melhores árbitros de seu estado.
Tecnicamente coerente nas partidas em que atua, Daronco parece ter se reencontrado com o cobiçado escudo FIFA no peito. Dono de quase dois metros de altura, o seu desempenho no campo de jogo está diretamente atrelado a sua forma rígida de não tolerar a indisciplina. Firme em suas marcações, ele consegue administrar as suas partidas com inteligência e elegância.

O pernambucano Clovis Amaral vive o melhor momento de sua carreira no futebol. Melhor árbitro assistente do 1º turno, ele trabalhou em 16 jogos do Brasileirão até aqui. Especialista em lances ajustados, a Comissão de Árbitros da CBF acertou em indicá-lo para o quadro de aspirantes FIFA, já que nesta temporada ele praticamente não errou.
Conhecido por ser um sujeito carismático como todo bom nordestino, Clovis Amaral virou uma espécie de homem de confiança da CA/CBF que reconhece o seu talento e por conta disso sempre o escala em jogos expressivos. Dono de um porte físico exuberante, Amaral é o espelho da administração impecável de Salmo Valentim, chefe dos árbitros na terra do frevo, responsável direito pela Ascenção do auxiliar.
Tudo isso é possível graças à infraestrutura oferecida pela Federação Pernambucana de Futebol que é disparada a entidade esportiva que mais investe em arbitragem no país. Com um presidente amigo da arbitragem à sua frente, a FPF é pioneira em vários pontos, dentre os quais, no próximo ano pagará 5% referente ao direito de imagem para todos os árbitros que trabalharem no Campeonato Estadual. Esse é apenas mais um golaço de Evandro Carvalho e Murilo Falcão.

O paulista Thiago Duarte Peixoto aproveitou com inteligência as oportunidades que lhe foram dadas pela CA/CBF. Embora tenha sido promovido ao quadro de aspirantes FIFA precocemente, aos 36 anos ele tem mostrado dentro de campo reunir todos os pilares que moldam um árbitro de qualidade.
Até aqui ele atuou em nove jogos do Campeonato Brasileiro e conseguiu manter o mesmo nível técnico demonstrado ao longo do Campeonato Paulista, no início do ano. Fisicamente as suas apresentações são impecáveis, algo que justifica a eficácia de Marcos Marinho, chefe do apito em São Paulo que trabalha diuturnamente no garimpo de novos árbitros no estado.
Revelação do Brasileirão até aqui, Peixoto pode chegar ao quadro internacional mais rápido do que ele próprio imagina. Para isso basta manter o mesmo nível apresentado neste 1º turno.
Destaque negativo
Embora seja uma aposta pessoal de Sérgio Corrêa, que desde 2005 está na Comissão de Árbitros da CBF, o paulista Guilherme Ceretta de Lima infelizmente não conseguiu acompanhar dentro de campo a confiança que lhe foi depositada fora dele. Depois de graves erros na Copa do Brasil e também no Campeonato Brasileiro, o modelo foi afastado das escalas e provavelmente deverá ser retirado do quadro de aspirantes FIFA na próxima temporada. Se não for, Corrêa continuará insistindo em um ex-árbitro em atividade que não se prepara e por isso continua errando.

Indicado como “melhor árbitro” do Campeonato Paulista deste ano, Ceretta tinha tudo para fazer uma temporada impecável, mas na prática não foi bem isso o que aconteceu. Tecnicamente apontado como um dos mais fracos árbitros do Brasil, pode até ser que ele volte a atuar este ano, mas para mudar essa imagem não vai ser uma tarefa nada fácil.
NM com voz do apito

Nenhum comentário:

Postar um comentário

PARCEIROS NA MIRA

PARCEIROS NA MIRA